CÂMARA. CPI do Parque de Máquinas pode ter seu trabalho interrompido. Saiba qual o motivo alegado

CÂMARA. CPI do Parque de Máquinas pode ter seu trabalho interrompido. Saiba qual o motivo alegado - maiquel-cpi

No encontro dessa quarta (9), vereadores analisaram cópias das oitivas realizadas pela Sindicância da Corregedoria Geral do Município

Por MAIQUEL ROSAURO (texto e foto), da Equipe do Site

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o sucateamento do Parque de Máquinas de Santa Maria pode ser suspensa por um período determinado. O problema está relacionado à contratação de um perito mecânico para analisar o maquinário. Ainda não se sabe quando tempo irá demorar até que o profissional esteja à disposição.

O presidente da CPI, Juliano Soares – Juba (PSDB), já fez o requerimento para a Mesa Diretora do Legislativo. Calcula-se que o profissional deva receber em torno de R$ 4 mil para realizar uma análise detalhada de cerca de sete máquinas que foram desmontadas.

“Não descarto uma paralisação. Já pedimos para a Casa que nos dê um suporte. Caso o processo de contratação demore, vamos interromper a CPI para não perdemos o prazo”, avalia Juba.

A CPI foi protocolada em 29 de junho e tem prazo de 90 dias para ser concluída, com possibilidade de prorrogação por mais 30 dias.

Caso não seja necessária a suspensão dos trabalhos, o objetivo é seguir analisando a documentação das máquinas em agosto, enquanto que em setembro seriam feitas as inquisições. Logo após, seria solicitado um prazo extra de 30 dias para produção do relatório.

Na tarde dessa quarta (9), a reunião da CPI ocorreu no gabinete de Juba. Participaram do encontro os vereadores Marion Mortari (PSD) e Vanderlei Araujo (PP), que integram a investigação, além de Daniel Diniz (PT), que acompanha os trabalhos desde o início.

Durante o encontro, os vereadores analisaram as cópias das oitivas da Sindicância do Parque de Máquinas promovida pela Corregedoria Geral do Município. Ao final da reunião, foram definidos os próximos documentos que serão solicitados.

A comissão pedirá cópia do levantamento patrimonial da Secretaria de Infraestrutura, cópia do edital do leilão feito pela Prefeitura ano passado, cópia dos contratos de todas as empresas que prestaram serviços terceirizados ao município nos últimos dois anos (relacionadas ao conserto de maquinário) e cópia do laudo das máquinas levadas a leilão. A CPI também quer saber se há alguma investigação sobre o tema na Polícia Civil e no Ministério Público.

O próximo encontro da comissão deverá ser realizado apenas em 22 de agosto, já que na próxima semana Mortari e Diniz estarão em Brasília.

Trator de esteira

Busca e apreensão. É desta forma que Juba projeta que seja realizada a retomada de um trator de esteira que encontra-se em uma oficina particular na Vila Lorenzi. O equipamento foi enviado para conserto em 2015 e o dono do estabelecimento segurou a devolução porque não foi realizado o pagamento por parte da Prefeitura.

O problema é que a mecânica em questão não é legalizada e emite as notas através de outra empresa. Além disso, a entrada do trator de esteira no estabelecimento foi registrada em um caderno à caneta.

“Colocaram a máquina lá de forma irregular, mandaram fazer o serviço de forma irregular e agora a Prefeitura irá pagar o pato? Acho que vou sugerir uma ação de busca e apreensão”, explica Juba.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *