BRASIL. “Não existe nenhum tipo de possibilidade de qualquer intervenção militar", diz ministro da Defesa

BRASIL. “Não existe nenhum tipo de possibilidade de qualquer intervenção militar”, diz ministro da Defesa

BRASIL. “Não existe nenhum tipo de possibilidade de qualquer intervenção militar", diz ministro da Defesa - Militares

No Rio, Jungmann participou da solenidade que marcou o fim das operações do Brasil na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah). Foto Vladimir Platonow / Agência Brasil

Por Vladimir Platonow / Agência Brasil

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que não existe qualquer possibilidade de intervenção militar no Brasil, por conta da crise política, conforme pregam alguns setores da sociedade e até militares da ativa. Segundo o ministro, as Forças Armadas estão em paz dentro dos quartéis.

Raul Jungmann participou nesse sábado (21) da solenidade que marcou o fim das operações do Brasil na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah), depois de 13 anos de atuação.

Após o evento, ele conversou com os jornalistas e garantiu que não há espaço para qualquer participação militar no país fora do que é determinado pela Constituição. As afirmações do ministro contrariam correntes políticas que pedem a volta do regime militar, caso a sociedade civil não resolva os impasses políticos e jurídicos.

“Existe paz e tranquilidade dentro dos quartéis e nas Forças Armadas. Resumo o que as Forças Armadas entendem para o momento da seguinte maneira: dentro da Constituição, tudo, fora da Constituição, absolutamente nada”, respondeu o ministro, que questionou a validade de uma intervenção para o país.

“Para que intervenção militar? Para resolver o problema da Previdência? Para resolver o problema democrático, que está resolvido? Para resolver o problema da inflação, que está sendo resolvido? Para resolver o problema do desemprego, que está caindo? Para que intervenção militar, se o Brasil está sendo passado a limpo? Temos a Lava Jato, que está punindo aqueles que são responsáveis pela corrupção.”

Jungmann destacou que o Brasil vive um momento bom, punindo os corruptos. De acordo com o ministro, o país sairá desta fase fortalecido. Acrescentou que a situação atual é de democracia.

“Não existe nenhum tipo de possibilidade de qualquer intervenção militar, porque vivemos uma situação democrática e é isso que vai continuar sendo, com o apoio das nossas Forças Armadas”.



4 comentários

  1. O Brando

    Por partes como diria Jack. Não existe perigo de intervenção militar. Mas se houvesse, o ministro da defesa não saberia. Quem definiria isto seriam os Comandos Militares das diversas regiões, não quem comanda uma mesa em BSB. É uma hipótese bastante improvável porque Castelo Branco (se não me engano) mudou as regras de promoções dos generais há tempos atrás.
    Alusão a militares da ativa é referência ao general Mourão. O que ele disse é muito diferente do circo que a mídia apresentou. General, que é oriundo da artilharia, falou em aproximações sucessivas para cálculo de logaritmos e o pessoal de humanas não entende isto, o tempo na faculdade é gasto para aprender coisas mais úteis, tais como fazer miçangas.

  2. O Brando

    Brasil sairá fortalecido? Mais provável é que saia meia boca, como sempre. Aproximações sucessivas é a chave.

  3. Cleber Winckler da Silva

    Não há a menor possibilidade de eu comer você, disse o Leão a zebra………..ré ré ré

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *