VIAGEM. Pylla Kroth e sua criança interior

VIAGEM. Pylla Kroth e sua criança interior - criança-pylla-1024x870“De onde estou e de quem sou, resolvi voltar para trás. Vou para 1970. Tentar uma regressão. Concentro minha respiração entrando em meu corpo. Fecho os olhos e a cada inspiração vou me aprofundando cada vez mais. Muitos de nós têm medo de fazer isso, mas pra mim é chegada a hora de fazer este destemido e minucioso inventário do passado para conhecer a mim mesmo, pois se um ser superior me colocou no mundo certamente foi para realizar alguma tarefa, quero conhecer melhor meu instinto interior, desde os carnais, preparando melhor meu “retorno” ou “viagem de volta”.

Agora em estado de serenidade, vou relaxando meus músculos da face e do queixo, sinto muita tensão acumulada, vou aliviando o pescoço – sinto me carregando o peso do mundo em meu corpo – relaxo agora os músculos da barriga e das pernas desatando os nós acumulados, vou indo cada vez mais fundo. Agora já sinto uma luz entrando em meu cérebro. Primeira sensação de alívio são das cordas vocais e do peito. O coração bomba aliviado a luz do meu corpo. Paz.

Agora começo lembrar da infância e realmente não há limites para nossa memória. Podemos recuar no tempo, nascimento, útero e além do tempo.

Estou de frente a um aparelho de televisão assistindo a seleção canarinho ser tricampeã mundial na casa de uma vizinha, não muito distante de minha casa. Volto mais, o homem esta pisando na lua, muitas pessoas estão vendo comigo espantadas. Vejo Topo Gigio, Nacional Kid… Respiro suave e estou vendo um homem andar de bicicleta em círculos, sem parar. Alguém me entrega um folheto escrito em azul. Sigo voltando e agora brinco com os funcionários da empresa que está instalando postes de luz. Alguém me empurra para dentro de um açude, me confundo quando boio, me convenço agora nadando…”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra da crônica “Criança Interior”, de Pylla Kroth. O autor é considerado dinossauro do Rock de Santa Maria e um ícone local do gênero no qual está há mais de 34 anos, desde a Banda Thanos, que foi a primeira do gênero heavy metal na cidade, no início dos anos 80. O grande marco da carreira de Pylla foi sua atuação como vocalista da Banda Fuga, de 1987 a 1996. Atualmente, sua banda é a Pylla C14. Pylla Kroth escreve semanalmente neste espaço.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *