SALA DE DEBATE. Os políticos e a romaria, a feisma, representatividade do Congresso, os R$ 50 milhões…

SALA DE DEBATE. Os políticos e a romaria, a feisma, representatividade do Congresso, os R$ 50 milhões... - sala-8

Com âncora e o editor, os convidados Elvandir da Costa, Luiz Ernani Araújo, Walter Jobim Neto e Alfeu Bisaque (foto Gabriel Cervi Prado)

Um programa essencialmente político, o “Sala de Debate” de hoje, entre meio dia e 1 e meia da tarde, na Rádio Antena 1. Com a ancoragem de Roberto Bisogno, este editor e os demais convidados, Walter Jobim Neto, Alfeu Bisaque Pereira, Elvandir Costa e Luiz Ernani Araújo, se debruçaram sobre temas como a presença dos políticos na Romaria e a abertura da Feisma, a multifeira de Santa Maria.

Mas, creia, foi bem mais que isso, havendo espaço para discussão candente, entre outras, sobre a representatividade (ou a falta dela) do Senado e da Câmara dos Deputados  e também a propósito da informação que, se confirmada no futuro próximo, pode ser a mais importante do governo de Jorge Pozzobom: os R$ 50 milhões pleiteados para a mobilidade urbana em Santa Maria.

PARA OUVIR O “SALA” DE HOJE, BLOCO POR BLOCO, CLIQUE NOS LINQUES ABAIXO!!!

 



2 comentários

  1. O Brando

    Confiável é quem vive frequentando buteco.
    Casarão do Vale Machado deveria criar a Comenda Claudemir Pereira. Premiaria a criatura mais “mala” da cidade num determinado ano. “Eu sou contra o Senado, já mencionei isto?” “Esta semana não”. Mas não dá nada, sujeito é chato mas ainda se aproveita….a risada.
    Senado não existiu somente na constituição de 37 onde foi substituído pelo Conselho Federal. Dois representantes por estado eleitos para mandato de 6 anos. Competia ao mesmo legislar sobre tratados e convenções internacionais, comércio internacional e interestadual, regime de portos e navegação de cabotagem, aprovar as nomeações de Ministros do Supremo Tribunal Federal e aprovar as nomeações de Ministros do Supremo Tribunal Federal.

  2. O Brando

    Segundo consta vai sair um projeto de lei porque a Camara não quer saber de MP.
    Justiça e STF ganham muito bem para se incomodar. Negar acesso ao judiciário é inconstitucional, é bom falar com alguém que conheça o artigo 5º.
    Não existe direito por auto-atribuição (como os vermelhinhos gostam de fazer).
    Controle difuso é no caso particular, concentrado é no STF.
    Quem declara inconstitucionalidade é o judiciário, todo o resto são teses (inclusive do pessoal de pijama) que podem ou não ser acatadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *