Câmara de Vereadores

LUNETA ELETRÔNICA. Collor, Trevo para Rosário do Sul e as homenagens pretendidas por Paulo Pimenta

Deputado federal Paulo Pimenta esteve reunido com os vereadores na manhã dessa sexta. Foto Kauane Müller

Por Maiquel Rosauro

* O senador e ex-presidente da República, Fernando Collor de Mello (PTC), afirmou nessa sexta-feira (19) que concorrerá novamente a presidente.

* “Tenho uma vantagem em relação a alguns candidatos porque já presidi o país. Meu partido todos conhecem, sabem o modo como eu penso e ajo para atingir os objetivos que a população deseja para a melhoria de sua qualidade de vida”, afirmou Collor a uma rádio do Nordeste.

* Ele foi presidente do país entre 1990 e 1992, quando sofreu impeachment. Em seu lugar assumiu o vice, Itamar Franco.

* O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Estado do RS (DNIT/RS) informa que o trevo da BR-158/287, ponto conhecido como trevo de saída para Rosário do Sul, opera com desvio no trânsito desde o início da tarde de sexta.

Trevo na saída para Rosário do Sul está com um desvio no trânsito. Foto Ricardo Lopes / DNIT

* A alteração é necessária para continuidade das obras de construção do novo viaduto previsto no projeto da Travessia Urbana.

* O DNIT alerta aos usuários para a atenção no trecho, respeitando a sinalização e a velocidade de 40Km/h permitida no local.

* O deputado Paulo Pimenta (PT) esteve na Câmara de Vereadores nessa sexta, quando divulgou que pretende homenagear personalidades relevantes de Santa Maria denominando três viadutos da cidade, uma creche e um Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU).

* O parlamentar solicitou o apoio da Câmara para a realização das homenagens.

* O objetivo é chamar de Renan Kurtz o Viaduto do Castelinho; Maria Zaira de Grandi, o Viaduto do entroncamento entre a Avenida Walter Jobim e as BRs 158 e 287; e Gilberto Benetti, viaduto do entroncamento entre a Rua Duque de Caxias e a BR 158.

* A creche localizada no Loteamento Cipriano da Rocha deve se chamar Ivanise Jann de Jesus; enquanto que o CEU do Bairro Nova Santa Marta poderá se chamar Sandra Feltrin.

* “Eu tenho certeza que são pessoas, que acima de qualquer coisa, merecem esse reconhecimento e merecem que seus nomes sejam lembrados por tudo aquilo que fizeram por nossa cidade”, destaca Pimenta.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

3 Comentários

  1. O que é isso? A velha política pequena brasileira cultural que se acostumou a inventar essas coisas como um meio de fazer projeção eleitoral. Inaugurar até viaduto com plaquinha, corte de faixa e champanha é realmente uma ideia sensacional.

    Vamos gastar menos com placas, eventos públicos, deslocamentos fe autoridades, discursos insossos, parando de vez de dar nomes e fazer inaugurações de qualquer coisa, principalmente de viadutos? Quanto isso custa dos nossos bolsos?

  2. Deputado(a) ganha brutos 33 mil reais para inclusive dar nome a prédios, obras e viadutos? Que coisa. Acompanhei a discussão dias desses a respeito da homenagem que fariam a uma ex-primeira dama nomeando um viaduto. Desde aí fiquei pensando na bizarrice por deputados e vereadores darem nomes pessoais a obras. Vejam os argumentos….

    Primeiro ponto: tem tanta gente assim que merece ser homenageada? Segundo: até viadutos? Cada viaduto desse país pode ter um nome? Vamos precisar importar nomes de outros países, porque senão não vamos dar conta. Terceiro, o mais importante: só num país de Terceiro Mundo para representanes públicos se arvorarem, por força de lei, dispendendo um tempo custoso da função, para darem nomes a obras, até em viadutos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo