CidadaniaEducaçãoUFSM

CIDADANIA. ‘Dia contra o racismo’ tem programação que vai até o final deste mês, no campus da UFSM

Mostra disponível até o dia 30, com fotos de Dartanhan Baldez Figueiredo, tem 85 imagens que retratam lutas dos negros em Santa Maria

Por MELISSA KONZEN, texto e foto (com a colaboração de KAMILA RUAS, da TV Campus), da Coordenadoria de Comunicação Social da UFSM

A cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras. Mais de 60% das pessoas negras já sofreram racismo no ambiente de trabalho. O percentual de negros assassinados em nosso país é 132% maior do que o de brancos. A projeção de igualdade salarial para negros e brancos está prevista para o ano de 2089. Os dados são do Ipea, Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Consultoria Etnus e ONG Oxfan e retratam o quanto o racismo ainda afeta a vida da população negra.

A eliminação do racismo é uma luta cotidiana e, para reforçá-la, a ONU estabeleceu o dia 21 de março como Dia Internacional Contra a Discriminação Racial. Na UFSM, a data foi marcada pela abertura do evento “Negras e Negros na Cultura, na Ciência e nos Movimentos Sociais”, organizado pela Associação Ará Dudu e Pondá Assessoria.

A programação foi iniciada com a realização de uma intervenção antirracista em frente à Reitoria, que também pedia por justiça após a morte de Marielle Franco e Anderson Gomes. Em seguida, o público pôde prestigiar a exposição fotográfica de Dartanhan Baldez Figueiredo, no Centro de Convenções.

São 85 imagens que ficarão expostas até o dia 30 deste mês e retratam as lutas, manifestações e expressões da população negra em Santa Maria. “Minha fotografia tenta mostrar os movimentos sociais, mostrar os artistas trabalhando em diferentes formas: na dança, no teatro, na música. Mostrando e dando visibilidade a essas pessoas”, afirmou o fotógrafo.

No dia em que também são comemorados os quatro anos de existência do coletivo de arte e cultura negra de Santa Maria, Ará Dudu – Korpo Negro, houve o lançamento do site oficial. A plataforma digital Ará Dudu foi elaborada através da Incubadora Social da UFSM e une as produções feitas por artistas, artesãos e empreendedores negros da cidade.

“Tudo o que envolve o movimento negro, a arte negra, vem com resistência, vem com militância. Então escolher o dia 21, dia Internacional Contra a Discriminação Racial, ele surge de uma forma bem especial e gloriosa para nós. Principalmente para nós do coletivo”, declarou a curadora e integrante do Ará Dudu, Isadora Bispo. Também fez parte do evento a performance “Falar Fazendo Dança Afro”, com Manoel Luthiery e a exibição do documentário “Pobre, Preto, Puto”, relato da história de Nei D’Ogum. Ao final houve o “Olubajé”, coquetel de degustação de comidas africanas.

As manifestaões de luta e resistência seguem. O “Momento Música de Preto”, acontecerá dia 25, no Viva o Campus e terá participação de Elen Ortiz, Zan Ribeiro e Ariane Teixeira. Já no dia 29 será realizada a roda de conversa com mulheres negras “Militância e Protagonismo das Pretas”, com mediação do Grupo de Estudos Pós-Abolição (GEPA) e participação especial de Malu Viana. Durante todos os dias haverá mostra de bonecas negras, produzidas por Lúcia Severo.

Detalhes da programação podem ser conferidos AQUI.

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo