OS PROJETOS. Orlando Fonseca e as mudanças no Plano Diretor da cidade: memória, história, economia

OS PROJETOS. Orlando Fonseca e as mudanças no Plano Diretor da cidade: memória, história, economia

OS PROJETOS. Orlando Fonseca e as mudanças no Plano Diretor da cidade: memória, história, economia - orlando-chamada-2“…Por outro lado, a perda de referência da paisagem urbana também contribui para uma baixa autoestima cidadã. Os morros são um símbolo importante para Santa Maria. Localizada ao pé dos contrafortes ao sul da Serra Geral, nossa cidade já nasceu com esta definição em seu nome: Santa Maria da Boca do Monte. Permitindo que se aumente o gabarito dos prédios nesta zona da cidade, ultrapassando o limite de altura ideal, os morros vão desparecer da vista de quem vive aqui, e se sente, como o cantor, seguro e abraçado por eles.

Não desconsidero, com essa abordagem, que a construção civil faz parte do motor econômico local, gerando emprego e renda. Mas a economia não pode se esgotar nisto: a entrega para o esquecimento sítios históricos e…”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra da crônica “Da Boca do Monte”, de Orlando Fonseca. Orlando é professor titular da UFSM – aposentado, Doutor em Teoria da Literatura, PUC-RS, e Mestre em Literatura Brasileira, UFSM. Exerceu os cargos de Secretário de Cultura na Prefeitura de Santa Maria e de Pró-Reitor de Graduação da UFSM. Escritor, tem vários livros publicados, foi cronista dos Jornais A Razão e Diário de Santa Maria. Tem vários prêmios literários, destaque para o Prêmio Adolfo Aizen, da União Brasileira de Escritores, pela novela Da noite para o dia, WS Editor; também finalista no Prêmio Açorianos, da Prefeitura de Porto Alegre, pelo mesmo livro, em 2002.

OBSERVAÇÃO DO EDITOR: a imagem que ilustra esta nota é de Gabriel Haesbaert, feita em 2016.



2 comentários

  1. O Brando

    “Baixa autoestima cidadã” é um nome floreado para “descaso”. Ninguém joga lixo no chão, abandona sofás (e outros móveis) ao lado de containers (ou joga os mesmos nas sangas), liga o esgoto doméstico no pluvial por falta de autoestima ou porque não vê os morros.
    “Autoestima cidadã” é também um mimimi que proporciona o “terceiro culpado”, as pessoas não podem ser culpadas de terem baixa “auto estima”.
    Santa Maria é como é porque as pessoas que aqui residem faz a cidade ser como é. O mesmo vale para Santa Cruz ou Erechim. Não existem escusas.

  2. Eng Lucas braido

    Claudemir. Vou te desenhar a audiência pública de amanhã na câmara. Pao e circo. Explico.
    Sera um embate entre empresários x. Ambientalistas x defensores do patrimônio histórico.
    Ok cada qual com seus interesses. Mas o presidente do Iplan é o que , ex empresario, o Cézar gen é ex político e ex empresário. E o Pereiron é técnico mas deve obidiencia a quem lhe colocou lá. Então os ambientalistas e o Demais presentes amanhã tem de entender que uma campanha política custa caro e que a banca paga e recebe. E agora entram nosso nobres vereadores pois qualquer alteração do que está posto depende deles e mesmo os vereadores de oposição também precisa fazer campanha a cada quatro anos. O Iplan faz de conta que discute com a sociedade mas na verdade as cartas já estão postas. Assim gira a roda dentro da prefeitura e da câmara. Mais uma vez será uma lavada a favor dos interesses econômicos. Anotem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *