ECONOMIA SOLIDÁRIA. Produtos de origem animal oriundos do SIM podem ser comercializados na Feira

ECONOMIA SOLIDÁRIA. Produtos de origem animal oriundos do SIM podem ser comercializados na Feira

ECONOMIA SOLIDÁRIA. Produtos de origem animal oriundos do SIM podem ser comercializados na Feira - ecosol-3

Na manhã desta quinta-feira teve início a montagem dos estandes da 25ª Feicoop, no Centro de Referência Dom Ivo Lorscheiter

Por MAIQUEL ROSAURO (texto e foto), da Assessoria de Imprensa dos Eventos

O Diário Oficial do Estado, desta quinta-feira (12), traz uma importante notícia aos expositores da 25ª Feira Internacional do Cooperativismo (Feicoop). Foi publicada a Portaria 385/2018, que determina a tolerância, em caráter excepcional, a comercialização de produtos de origem animal oriundos do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) dentro da Feira. O evento teve início nesta quinta e segue até domingo (15), em Santa Maria.
Conforme a Portaria, assinada pelo secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Irrigação, Odacir Klein, as empresas deverão comprovar a inscrição no SIM do município de origem.
Na prática, produtores de todo o Rio Grande do Sul com destino à Feicoop poderão transitar com seus produtos de origem animal, desde que oriundos do SIM.

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR A PORTARIA NA ÍNTEGRA

A 25ª Feicoop ocorre no Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter. Na manhã desta quinta, teve início a montagem dos estandes e também ocorreram os primeiros seminários.

PROGRAMAÇÃO OFICIAL DA 25º FEICOOP

PROGRAMAÇÃO DE ATIVIDADES CULTURAIS DA 25ª FEICOOP

Informações sobre a 25ª Feicoop

A Feira
A Feicoop é uma grande escola de organização, formação de convivência, do voluntariado e dos Movimentos Sociais e Economia Solidária. São 25 anos de construção coletiva e interativa. É um braço do Fórum Social Mundial que constrói um “Outro Mundo Possível” e uma “Outra Economia que já Acontece!”. A entrada é gratuita.

Tema desta edição
Construindo a sociedade do bem viver: por uma ética planetária

Horários de visitação
Quinta-feira (12) – Chegada das caravanas (não haverá comercialização neste dia)
Sexta-feira (13) – das 7h30min às 20h
Sábado (14) – 7h30min às 20h
Domingo (15) – 7h30min às 18h

Abertura Oficial
Sexta-feira (13), às 16h, no Palco da Feira (Parque da Medianeira)

Exposição
Serão expostos na Feira cerca de 10 mil produtos, entre agroindústria familiar, artesanato, alimentação, hortifrutigranjeiros, plantas ornamentais, serviços e produtos de povos indígenas.

Estimativa de público 
Para esta edição, são esperadas 300 mil pessoas durante os quatro dias de evento. Ano passado, foram 255 mil visitantes oriundos de todos os estados brasileiros (mais de 500 municípios) e 20 países (África do Sul, Alemanha, Argentina, Brasil, Chile, China, Colômbia, Costa do Marfim, Cuba, Equador, Espanha, Hungria, Itália, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal, Senegal e Uruguai).

Diferenciais do evento
Durante a Feicoop ocorrem práticas do comércio justo e consumo ético e solidário, trocas solidárias com moeda social e muitas atividades de formação e interação. Na Feira não há consumo de cigarros e a água não é comercializada durante o evento. A Economia Solidária entende que a água é um bem universal e um patrimônio da humanidade.
Refrigerantes também não são vendidos. Os produtos oferecidos na Feira são de procedência ecológica. A organização do evento trabalha com a teoria e a prática, articulando campo, cidade e as diferentes culturas e etnias.

Infraestrutura
A área total da Feicoop é superior a 20 mil m², incluindo os pavilhões do Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, parte do Parque da Medianeira e o Colégio Irmão José Otão.

Organização
A Feicoop é organizada pelo Projeto Esperança/Cooesperança (da Arquidiocese de Santa Maria) e Prefeitura Municipal de Santa Maria, com apoio de Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Cáritas Brasileiras, entre outras instituições.

O que é Economia Solidária
É um jeito diferente de produzir, de comprar, de trocar, de vender, de consumir produtos, oferecer e receber crédito. O que move esta economia é o desejo de que não existam excluídos, que a riqueza produzida no trabalho seja partilhada e que todos tenham qualidade de vida.
A Economia Solidária é também uma estratégica de desenvolvimento sustentável que considera todas as dimensões (econômica, social, cultural, ambiental, política…).

Feicoop no Facebook
Curta a fanpage do evento: https://www.facebook.com/feicoop



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *