CRÔNICA. Pylla Kroth e uma incrível volta no tempo, com a história de bandas que mudariam o rock de SM

CRÔNICA. Pylla Kroth e uma incrível volta no tempo, com a história de bandas que mudariam o rock de SM

CRÔNICA. Pylla Kroth e uma incrível volta no tempo, com a história de bandas que mudariam o rock de SM - pylla-chamada-2“…Abri o meu canto naquele instante e a partir dali construímos um dos trabalhos mais sólidos na forma da expressão musical roqueira, tratando-se principalmente da história da nossa Santa Maria. Foram três anos de THANOS e sete de FUGA, se não me falha a memória…

…Até hoje não consigo entender como os pais do baixista deixaram tudo aquilo acontecer ali. Mas alguém um dia me disso algo sobre isso: “por serem eles pessoas que gostavam de música e de cultura”. Santo Paco & Santa Clélia! Esse casal deveria ser canonizado pela memória cultural de Santa Maria.

Há uma divida impagável para com eles! E os vizinhos, então? Tinham tudo pra nos odiar devido à bagunça e ao barulho que causávamos, mas pelo contrário – todos nos …”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra da crônica “Cabeludos da João Rolim”, de Pylla Kroth. O autor  é considerado dinossauro do Rock de Santa Maria e um ícone local do gênero no qual está há mais de 34 anos, desde a Banda Thanos, que foi a primeira do gênero heavy metal na cidade, no início dos anos 80. O grande marco da carreira de Pylla foi sua atuação como vocalista da Banda Fuga, de 1987 a 1996. Atualmente, sua banda é a Pylla C14. Pylla Kroth escreve semanalmente neste espaço.

OBSERVAÇÃO DO EDITOR: a foto que ilustra esta nota é Rafael Ritzel



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *