CRÔNICA. Pylla Kroth, Zanatta e muitas lembranças, das recentes às do tempo do tempo do Chiclete Ploc

CRÔNICA. Pylla Kroth, Zanatta e muitas lembranças, das recentes às do tempo do tempo do Chiclete Ploc

CRÔNICA. Pylla Kroth, Zanatta e muitas lembranças, das recentes às do tempo do tempo do Chiclete Ploc - pylla-chamada“…Tenho pra mim que apenas virou os números no calendário, pois os fatos ocorridos neste ano e que nos envolvem até as goelas, isto ainda vai longe, vai respingar no dia a dia do novo calendário como gotas de vulcão.

“Ano passado eu morri, mas este ano eu não haverei de morrer” e nem quero a essas alturas dos fatos. Me sinto um escolhido da história por estar vivo. E quero fazer de meus dias uma vivência de luta com gosto e com toda força que já não é mais a mesma, reconheço.

Sei que horas doces, horas amargas, alegres ou tristes fazem parte de nossa vivência, mas assim acho que todos devem viver seus dias, pois a vida nos impõe essa regra. Se…”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra da crônica “Tempo? Presente, ainda!”, de Pylla Kroth. O autor  é considerado dinossauro do Rock de Santa Maria e um ícone local do gênero no qual está há mais de 34 anos, desde a Banda Thanos, que foi a primeira do gênero heavy metal na cidade, no início dos anos 80. O grande marco da carreira de Pylla foi sua atuação como vocalista da Banda Fuga, de 1987 a 1996. Atualmente, sua banda é a Pylla C14. Pylla Kroth escreve semanalmente neste espaço.

OBSERVAÇÃO DO EDITOR: a imagem que ilustra esta nota é uma reprodução de internet.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *