KISS, SEIS ANOS. Vigília iniciou na Praça Saldanha Marinho. E também já começou a 'Cavalgada da Paz'

KISS, SEIS ANOS. Vigília iniciou na Praça Saldanha Marinho. E também já começou a ‘Cavalgada da Paz’

KISS, SEIS ANOS. Vigília iniciou na Praça Saldanha Marinho. E também já começou a 'Cavalgada da Paz' - correio-do-povo-kiss-vigilia

Famílias de vítimas da Kiss iniciaram vigília ontem – quando começou, também, a Cavalgada da Paz, a partir do interior de São Gabriel

Do Correio do Povo, com texto e foto de RENATO OLIVEIRA

Familiares e amigos das vítimas da tragédia da boate Kiss iniciaram nesta quinta-feira uma vigília na tenda instalada na praça Saldanha Marinho, em Santa Maria. O incêndio na casa noturna, que deixou 242 mortos e mais de 600 feridos, completa seis anos no domingo.

A atividade na tenda, que é realizada todo dia 27 de cada mês, acontece também nesta sexta e no sábado. “Hoje, se a Andriele estivesse viva, estaria fazendo 28 anos”, conta a Ligiane Righi da Silva, que perdeu a filha na tragédia, ocorrida em 27 de janeiro de 2013.

Também nesta quinta teve início a Cavalgada da Paz, que saiu do interior do município de São Gabriel e deverá chegar no sábado à tarde a Santa Maria. Os 30 integrantes vão participar das atividades que marcam os seis anos da tragédia. Segundo Diego Fernandes, um dos organizadores, a cavalgada é realizada em conjunto com a Associação de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM) e tem a participação dos Cavaleiros da Paz.

O grupo saiu da Estância Umbu, propriedade de Inocêncio Gonçalves, pai de uma das vítimas do incêndio. “A cavalgada é uma maneira de protestar pela impunidade do caso e para que não se esqueça de tudo o que ocorreu”, destaca Fernandes.

Uma extensa programação ocorre neste fim de semana no município. No sábado, haverá várias atividades na UFSM, a partir das 14h. Já às 21h, as famílias partem da tenda no centro da cidade e se dirigem para a frete do prédio onde funcionava a boate. No domingo, serão realizados diversos eventos na praça Saldanha Marinho. Uma das ações será a apresentação de questionário online sobre o projeto de curadoria do memorial a ser construído no terreno onde funcionava a casa noturna.

PARA LER NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *