PREFEITURA. Governo Pozzobom fechou 2018 com 202 cargos de confiança. Confira curiosidades da lista

PREFEITURA. Governo Pozzobom fechou 2018 com 202 cargos de confiança. Confira curiosidades da lista

PREFEITURA. Governo Pozzobom fechou 2018 com 202 cargos de confiança. Confira curiosidades da lista - Listagem-CCs-Prefeitura

Com a reconquista da Mesa Diretora da Câmara pelo governo, lista de CCs sofrerá novas alterações em breve. Foto Reprodução

Por Maiquel Rosauro

A Administração Municipal de Santa Maria vive um momento de readequação. Após reconquistar o comando da Mesa Diretora do Legislativo, o governo Pozzobom passou a fazer um remanejo em seus cargos de confiança (CCs), desafogando o quadro no Centro Administrativo.

O recorde de CCs no governo ocorreu em agosto de 2018, quando a Prefeitura chegou a contar com 211 comissionados. A mais recente listagem publicada no Portal da Transparência, em 17 de dezembro, trouxe 202 nomes. A tendência é de queda.

Desembarque do Executivo

Um exemplo ocorre em relação aos CCs que deixaram a Prefeitura neste início de ano e rumaram para a Câmara. É o caso da jornalista Thais Hoerlle, que saiu da Casa Civil e reassumiu a Diretoria de Comunicação Social do Legislativo, cargo que ocupou em 2017; e do ex-secretário adjunto de Desenvolvimento Social, Leonardo Kortz, novo procurador Jurídico do Legislativo.

Ao lado de Westphalen

A próxima listagem não deverá contar com o nome de Paulo Airton Denardin (PP), assessor superior do prefeito, que passará a atuar como assessor do deputado federal eleito Pedro Westphalen (PP). A posse de Westphalen no Congresso Federal irá ocorrer em 1º de fevereiro.

Dois filhos de Maneco

Chama atenção na lista de CCs da Prefeitura a presença de dois filhos do vereador Manoel Badke – Maneco (DEM): Cristiane e Guilherme Rossato Badke. Enquanto Cristiane está lotada na pasta de Finanças, Guilherme atua na Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Conforme a Prefeitura, não existe irregularidade no fato, uma vez que ambos não foram indicados pelo parlamentar, que faz parte da base do governo no Legislativo.

“O Executivo entendeu que são pessoas qualificadas. O vereador Maneco nunca interveio para a contratação”, ressalta o subchefe da Casa Civil, Marco Mascarenhas.

O presidente do DEM/SM, Nelson Cauzzo, corrobora com as informações da Casa Civil.

“Como coligamos com o PSDB em nível de vereador e prefeito, nossa Executiva fez uma seleção de nomes para indicar ao governo. Usamos como critérios a filiação partidária, participação na campanha e ter concorrido a vereador. Tiramos cerca de 15 nomes que entregamos como sugestão à Prefeitura, que por sua vez foi chamando e selecionando a seu próprio critério”, explica Cauzzo.

Santa Maria não possui uma lei municipal específica sobre nepotismo (presunção de que a contratação se deu em razão do vínculo de parentesco), há no máximo um decreto legislativo que veda a prática no Parlamento.



1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *