SALA DE DEBATE. Empreendedorismo na cidade, as ruas e estradas refeitas, Brumadinho e muita política

SALA DE DEBATE. Empreendedorismo na cidade, as ruas e estradas refeitas, Brumadinho e muita política

SALA DE DEBATE. Empreendedorismo na cidade, as ruas e estradas refeitas, Brumadinho e muita política - sala-7

Este editor (D), na mediação, e os convidados desta terça: Antonio Carlos Lemos e Péricles Palma Costa (foto Gabriel Cervi Prado)

De novo, um “Sala de Debate” bastante animado, com espaço, o que não é exatamente uma regra, bastante significativo para a política local, com ênfase para as mudanças no secretariado do governo Pozzobom/Cechin e as perspectivas para 2019. Tudo no programa da Rádio Antena 1, entre meio dia e 1 e meia da tarde, com a mediação deste editor e a participação dos convidados Péricles Lamartine Palma da Costa e Antonio Carlos Lemos.

E do que mais se tratou? Três outros temas em destaque. O sempre atual empreendedorismo (afinal, existe ou não em Santa Maria?), as vias urbanas e as estradas distritais, objeto de obras que as tornarão bastante melhor trafegáveis e também, de novo, um assunto recorrente nos últimos dias: o meio ambiente, tendo como mote o rompimento da barragem de rejeitos da Vale, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais – com dezenas de mortes já confirmadas.

PARA OUVIR O “SALA” DE HOJE, BLOCO POR BLOCO,CLIQUE NOS LINQUES ABAIXO!!!

 



5 comentários

  1. O Brando

    Poupança (depósitos) e empreendedorismo, não sei se existe uma relação direta entre uma coisa e outra, teria que perguntar a um economista. Poupança da urb é 54% maior do que a de Passo Fundo (IBGE, 2017). Passo Fundo andou expandindo muita coisa, tem PIB maior do que o da aldeia. Operações de crédito por lá são 13% maiores do as daqui. Poupança por aqui são uns 5 mil por cabeça. Lá são uns 4500 reais por cabeça.
    Foco? Plano de desenvolvimento estratégico da cidade (que serve para pouco mais que nada) foi feito com base em democratismo, sonhos e ‘não vamos nos queimar com ninguém’.
    Perfil de acomodados? Época do Schirmer. Unifra quis ampliar um hospital. Deus nos acuda. Vai acabar com o sossego da vizinhança. Prefeitura pediu uma ‘contrapartida’, era só arrumar toda a quadra em volta e dar um jeito num dos trocentos parques que o alcaide criou no papel.

  2. O Brando

    Muito barulho por uma loja. Se abrir apareço lá de vez em quando e compro, o mesmo vale se abrir por perto. Não chamo nenhum dos principais incomodados pelo apelido.
    Quantas vezes foi falado ‘situação’ no programa?
    Nossa Senhora de Lourdes tem muitos professores da UFSM morando, ou seja, militantes petistas.
    Rio Branco? Schirmer arrecadou aquele prédio abandonado e deixou como encontrou.
    Filhos ficam na empresa porque a situação é bem diferente de 20, 30 anos atrás.
    Major médico não é o mesmo que um major da tropa. Experiência em gestão também é limitada. Muito provavelmente não tem o Curso de Chefia e Estado-Maior para Oficiais Médicos. Nenhum demérito, a secretaria já foi ocupada por gente cuja única qualificação era um diploma de segundo grau e uma estrelinha vermelha no peito.

  3. O Brando

    Direito penal preocupa-se com os fatos delituosos. Presidente da Vale é um engenheiro de produção que subiu via área financeira. Não entende bulhufas de barragens. Quando assumiu a dita cuja já existia.
    Os caras que atestaram a obra foram presos mais por um jogo para a torcida do que outra coisa. Alás, pessoal do jurídico já jogou um prazo mais alto porque não tem a mínima idéia do que está procurando.
    Aécio afirmou que nomeou, mas poderia muito bem ser uma bravata, estava falando com outro faroleiro. De qualquer maneira era o então presidente da Klabin. Também não tem nada a ver com segurança de barragens. Tem gente que nem desenhando.
    Quando tem muita gente gritando tem pouca gente pensando. Aplica-se a lei vigente, não tem que ‘exemplar’ ninguém. Senão é melhor mandar tudo as favas, coloca uma corda no pescoço de uma vez, joga por cima de um poste e puxa só para ver a criatura esperneando.

  4. O Brando

    Tonelada do aço está perto de 500 dólares. Tonelada do minério de ferro custa algo como 75 dólares. Dá para ter uma idéia do tamanho da operação.
    Justiça pode bloquear 11 bilhões na conta de qualquer um, não quer dizer que vá ter saldo. Vale tinha pouco mais de 24 bilhões no caixa, mais uns 20 bilhões de crédito rotativo. Só que daí vem o ‘mas’, a tesouraria. Em março teria que distribuir 30% do valor do (grossomodo) lucro bruto em dividendos relativos ao segundo semestre de 2018 (vermelhinhos acham que mercado de capitais é só especulação). Explica a PREVI ter interesse na empresa. Também havia um planejamento de recompra de um bilhão de dólares de ações da empresa. Para isto grana é necessária.
    Sabe o que é mais preocupante? As pontes do RS. Ninguém mais lembra que caiu a ponte do Jacui, aqui perto de Agudo.

  5. O Brando

    Os 100 mil estão sendo doados independentes da indenização que virá depois.
    Isto daí, tem que fechar a Vale e colocar os 74 mil empregados na rua.
    O que cada pessoa se considera é irrelevante. O que conta é o que ela diz, suas opiniões no dia a dia e o que ela faz. O resto é falácia.
    É fácil dizer ‘não sou comunista, mas é necessário acabar com a burguesia e terminar o sofrimento do proletariado’.
    Lucro da Vale ano passado foi 5 bilhões de reais por trimestre, mais ou menos, tirando o segundo que foi um tufo, trezentos e poucos milhões. Ninguém por lá está preocupado com o julgamento moral do editor.
    ‘Doutor’ Getúlio deu a Vale para o Brasil, vendeu as fazendas de São Borja e pagou do próprio bolso.
    Vale é a quarta mineradora do mundo e a empresa de número 132 em termos de tamanho.
    Mourão é general de quatro estrelas. Retrataram-no como se tosco fosse com finalidade eleitoral.
    Problema de utilizar gente do quadro é que as coisas não se aperfeiçoam. Ultimo secretário de finanças tinha expertise em licitações adquirida na época da caserna. Utilizou para melhorar alguns processos da prefeitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *