A Revelação - por Pylla Kroth

CRÔNICA. Pylla Kroth e a revelação de um livro antigo

CRÔNICA. Pylla Kroth e a revelação de um livro antigo - Horses“Alguns assuntos não têm prazo de validade. E quero falar de um livro muito, muito antigo que conta uma velha história de um tempo há muito passado, que de história se tornou lenda e depois mito, como concerne a todas as velhas histórias, as quais ao se tornarem mitos tornam-se também, às vezes, matéria de fé, e assim sendo são tanto antigas quanto atuais, dependendo da ótica sob as quais são lidas ou ouvidas.

Diz esta história deste livro que houve um tempo em que a corrupção havia enchido o planeta Terra, através dos seres humanos, de tal maneira que o ruído da corrupção ecoava por todo universo e ultrapassava o limiar do véu que separa o mundo material dos planos etéreos e das dimensões conhecidas como o Além da matéria.

O ruído provocado pelos humanos era tamanho que atingiu grandemente os ouvidos do Poder Criador, em última instância a Divindade que gerara e modelara o mundo material e o enchera com suas criaturas. De todas estas criaturas, no início, a que o Criador mais amava eram justamente os humanos, por isso encheu-o de desgosto perceber no que haviam se tornado; e o desgosto se tornou ira divina, e então ele tomou uma grave decisão: “Varrerei da face da Terra essa raça humana que criei, e com ela os animais, os pássaros e todas as criaturas que se movem sobre o chão, pois me arrependo de tê-los criado!”. E, assim, fez cair uma chuva sobre a terra, por quarenta dias e noites, e todas as fontes secretas sob a crosta se romperam com toda sua força, provocando uma inundação que represa alguma poderia conter; e todo planeta foi tomado pelas águas e pelo caos, espalhando morte e destruição de todo ser vivo que respirava…”

 

CLIQUE AQUI para ler a íntegra da crônica “A Revelação”, de Pylla Kroth. O autor é considerado dinossauro do Rock de Santa Maria e um ícone local do gênero no qual está há mais de 34 anos, desde a Banda Thanos, que foi a primeira do gênero heavy metal na cidade, no início dos anos 80. O grande marco da carreira de Pylla foi sua atuação como vocalista da Banda Fuga, de 1987 a 1996. Atualmente, sua banda é a Pylla C14. Pylla Kroth escreve semanalmente neste espaço.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *