LÁ DO FUNDO. Mais de sete nomes no PT, chuva de candidatos, problema no MDB?, pedetismo, Kica fora

LÁ DO FUNDO. Mais de sete nomes no PT, chuva de candidatos, problema no MDB?, pedetismo, Kica fora

Por CLAUDEMIR PEREIRA (com foto de Reprodução), Editor do Site

– A possibilidade de o PTB ter candidato próprio à Prefeitura, como dito pela direção partidária após encontro na quinta-feira não é tão basófia como alguns poderiam imaginar.

– Ainda assim, somente será viabilizada se um nome diferente for encontrado, de vez que os vereadores Deili Silva e Ovidio Mayer estão fora. O nome? Leia os “Bastidores” de Maiquel Rosauro, dentro de alguns minutos.

– Aliás, Ovídio estaria reconsiderando a decisão de não mais concorrer à vereança. Ele abriria caminho para Margarida (Kica) Mayer, irmã dele, se candidatar.

– Articulações além-Santa Maria, que deverão levar à nomeação dela para cargo de confiança regional, inviabilizaria a candidatura. “Ela não abandonaria o cargo menos de um ano depois”, afiançou Ovídio a este escriba.

– A profusão de nomes lançados nos últimos dias à presidência do PDT santa-mariense, não obstante as eventuais nobres intenções dos militantes citados, é apenas cortina de fumaça.

– O que há, de fato, é a disputa entre governistas (Luci Duartes na dianteira) e oposicionistas (que, por sinal, deixam claro não concorrer se o atual presidente, Marcelo Bisogno, continuar no cargo.

– Unidos em torno da dobradinha Fabiano Pereira/Magali Marques da Rocha, no pleito de 2016, é bastante improvável uma repetição em 2020. A menos que seja com os sinais trocados.

– Vai daí que não se sabe exatamente qual será o comportamento de um e outro, na disputa do próximo ano. E essa talvez seja a grande incógnita eleitoral a ser dirimida.

LÁ DO FUNDO. Mais de sete nomes no PT, chuva de candidatos, problema no MDB?, pedetismo, Kica fora - lá-do-fundo-magali

Magali tem questões políticas e também administrativas com que lidar. No primeiro caso, há o “caso Schirmer”. Já as dificuldades legais…

– Como disse um militante do MDB, o sonho, meeesmo, de muitos emedebistas (que já dão como favas contadas a ida embora, de Cezar Schirmer) é ser vice de Jorge Pozzobom.

– Como sabem ser isso impossível, sonham mesmo é em dar um jeito de manter numericamente a atual bancada (o que já não é fácil), o que talvez signifique bancar uma heroica candidatura a prefeito, e negociar apoio num hipotético segundo turno.

– Murmúrio emedebista, de outro lado, aponta para problema imediato muito maior, e que caiu no colo da presidente Magali Marques da Rocha. O MDB tem dificuldades legais para resolver. Mmm…

– Semana passada, aqui mesmo, você leu que haveria pelo menos quatro candidatos a prefeito. A nota, para ser mais preciso, era essa:

– “Anote: Jorge Pozzobom (PSDB), Marcelo Bisogno (PDT), Marcelo Arigony (ainda sem partido) e o nome a ser apresentado pelo PT (seja quem for). Haverá mais, mas não se sabe ainda quem.”

– Nem bem foi publicada, o escriba já recebeu um punhado de acréscimos. Então, o jeito é atualizar.

* Afora os quatro, e considerando que Arigony, por que não, pode entrar para o PTB do também delegado e vice-governador Ranolfo Vieira Júnior, no mínimo outros três nomes podem surgir.

– De onde virão? Do PSOL (sim, a esquerda-esquerda não ficará fora) e dos ditos evangélicos. Pode ser inclusive Jader Maretoli, hoje no PRB e que concorreu pelo Solidariedade em 2016.

– E o terceiro? Ora, do NOVO. Sim. E o editor transfere a pergunta ao leitor. Leia essa frase do deputado Giuseppe Riesgo, na última quinta-feira, AQUI  no site, e tira tua própria conclusão:

– “O brasileiro acordou e é questão de tempo para que renovemos tudo em Santa Maria também, afinal, 2020 é logo ali”. Então, está o este escriba delirando?

– Para fechar, tem a questão do PT. Seus dirigentes garantem que o candidato a prefeito, a ser definido até o fim de abril, sairá de um grupo de sete militantes graúdos.

– São eles os dois deputados, Paulo Pimenta e Valdeci Oliveira, os vereadores Celita da Silva, Daniel Diniz, Luciano Guerra e Valdir Oliveira, e a presidente da sigla, Helen Cabral.

– Pois este editor afirma, sem medo de errar: só não haverá um oitavo, quem sabe um novo nome, ainda em fase de prospecção, se o escolhido for um dos deputados.

– Desenhando: o candidato petista a prefeito só será um dos sete, se este for Paulo Pimenta ou Valdeci Oliveira. Qualquer outra decisão implicará em provável disputa interna para além dos já listados.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *