SAÚDE. Prefeitura encontra, em 19 dos 41 bairros da cidade, mais de 140 focos do mosquito Aedes Aegypti

SAÚDE. Prefeitura encontra, em 19 dos 41 bairros da cidade, mais de 140 focos do mosquito Aedes Aegypti

SAÚDE. Prefeitura encontra, em 19 dos 41 bairros da cidade, mais de 140 focos do mosquito Aedes Aegypti - prefeitura-aedes

Prefeitura intensifica ações de combate à infestação por Aedes aegypti em bairros de Santa Maria. Há preocupação das autoridades

Por MANUELA VASCONCELLOS (com foto de Arquivo), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

A Superintendência de Vigilância Ambiental em Saúde da Prefeitura de Santa Maria divulga os resultados do primeiro Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) de 2019. De 4 de fevereiro a 2 de março, foram encontrados 142 focos do mosquito distribuídos em 19 dos 41 bairros do Município. Esse é um dos levantamentos com resultados mais expressivos desde a primeira divulgação do LIRAa, em 2016. Por isso, equipes da Prefeitura reforçam o trabalho em campo e intensificam ações educativas junto à população.

“As características climáticas que tivemos em dezembro e janeiro contribuíram para esses números. Foram semanas inteiras de umidade seguidas de dias muito quentes. Tudo isso acelera o acúmulo de água, formando criadouros dentro das casas das pessoas, que não tomam os cuidados necessários para a proliferação”, explica Denoid Mezeck, coordenador técnico de campo da Vigilância Ambiental em Saúde.

O levantamento é uma determinação do Ministério da Saúde. Para a realização do trabalho, foram inspecionados 3.170 imóveis, sendo o bairro Juscelino Kubitschek com o maior número de focos, seguido da Nova Santa Marta (confira abaixo). Do total de criadouros de Aedes aegypti, 40,5% estão em depósitos móveis, como vasos e pratos de plantas, bebedouros e depósitos de construção, e 19,62%, em sucatas e entulhos de construção.

Conforme a Superintendência, o município se encontra em situação de alto risco para epidemia de circulação viral, ou seja, não se tem o vírus circulando. No último LIRAa de 2018, foram identificados 47 focos. Por isso, uma equipe de 18 agentes da Prefeitura, com apoio da 4ª Coordenadoria Regional em Saúde, já começa a trabalhar na eliminação desses focos, principalmente nos Pontos Estratégicos, locais que acumulam água independentemente do clima, como cemitérios e borracharias.

“Usamos larvacidas nos recipientes que não podem ser descartados para eliminar os criadouros. Também atuamos na verificação de denúncias da população, como em terrenos baldios, além de atividades educativas a cada visita em residências, explicando onde está o problema e explicando o que deve ser feito”, esclarece Mezeck.

Denúncias podem ser feitas pela Ouvidoria do Município, pelo telefone 156.

Bairros com maior número de focos:

– Juscelino Kubitschek – 14 focos

– Nova Santa Marta – 13 focos

– Bonfim – 9 focos

– João Goulart, Dores, Medianeira, Urlândia e Perpétuo Socorro – 7 focos cada um

– Menino Deus, Rosário e Passo D´Areia – 5 focos cada um

– Itararé, Caturrita e Tancredo Neves – 4 focos cada um

– São João, São José, Nossa Senhora de Lourdes, Duque de Caxias e Camobi – 3 focos cada um

– Km 3, Diácono João Luiz Pozzobon, Chácara das Flores, Salgado Filho, Agroindustrial, Nossa Senhora de Fátima, Divina Providência e Tomazzetti – 2 focos cada um

– UFSM, Lorenzi, Parque Pinheiro Machado, Centro, Cerrito, Dom Antônio Reis, Carolina e Renascença – 1 foco cada um

PARA LER NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *