SAÚDE. Em reunião, Santa Maria e cidades vizinhas avaliam a demanda de atendimentos do Regional

SAÚDE. Em reunião, Santa Maria e cidades vizinhas avaliam a demanda de atendimentos do Regional

SAÚDE. Em reunião, Santa Maria e cidades vizinhas avaliam a demanda de atendimentos do Regional - prefeitura-regional-1

Cada município, definiu-se no encontro, vai verificar sua própria demanda de pacientes para o Regional, para otimizar atendimentos

Por MANUELA VASCONCELLOS (texto) e JOÃO ALVES (foto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

Representantes da área da Saúde de Santa Maria e de municípios da Região Centro do Estado participaram de reunião, na manhã desta quinta-feira (21), no Hospital Regional, em Santa Maria. Os objetivos foram avaliar os atendimentos do Ambulatório de Atenção Especializada de Diabetes e Hipertensão de Alto e Muito Alto Risco e aumentar o número de atendimento.

A intenção do Estado é que até o fim deste ano sejam atendidos mil novos pacientes, fazendo com que o Ambulatório atue com capacidade máxima. Metade desse número corresponde somente a pacientes de Santa Maria.

“Estamos frente a mais um desafio para que a Secretaria da Saúde identifique e encaminhe esses pacientes ao Hospital Regional. Esse trabalho vai diminuir consequências graves dessas enfermidades, como amputações, enfartes precoces, entre outros”, explica o secretário da Sáude, Francisco Harrisson.

Durante a reunião, foi debatida a necessidade de avaliação da realidade de cada município em termos de demanda de pacientes. Para isso, torna-se importante, conforme os secretários, aproximar as equipes de saúde das que atuam no Hospital e fazer com que a instituição tenha conhecimento das especialidades disponíveis em cada município. A ideia é otimizar esses atendimentos.

A reunião, que ocorrerá a cada 45 dias, também contou com o diretor do Departamento de Ações de Saúde do Estado, Elson Romeu Farias, o diretor administrativo do Regional, Elvis Prestes, e representantes do Instituto Federal de Cardiologia, instituição que administra o Hospital, da 4ª Coordenadoria Regional de Saúde (4ª CRS) e do Congresso Nacional de Saúde (CONAS).

“Precisamos ordenar e qualificar a Atenção Primária e Básica para enfrentarmos os problemas de forma conjunta. Para isso, vamos usar a medicina baseada em evidências para evitar exames desnecessários e, assim, conseguir vencer as demandas”, afirma Elson Romeu Farias, representante do governo estadual.

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *