ANÁLISE. MDB local desmilinguido no Estado e duas questões santa-marienses para resolver. Saiba quais!

ANÁLISE. MDB local desmilinguido no Estado e duas questões santa-marienses para resolver. Saiba quais!

ANÁLISE. MDB local desmilinguido no Estado e duas questões santa-marienses para resolver. Saiba quais! - mdb-1

Schirmer e Tubias são os únicos santa-marienses no Diretório Estadual eleito sábado, junto com a Executiva que reconduziu Moreira

Por CLAUDEMIR PEREIRA (com fotos de Reprodução e de Galileu Oldenburg/MDB-RS), editor do Site

Na manhã de sábado, o MDB gaúcho realizou sua convenção estadual. Nela confirmou deputado federal Alceu Moreira para mais um mandato presidencial, junto com a nova Executiva partidária. Também lançou José Ivo Sartori para uma inglória luta pelo comando nacional da sigla. E, do ponto de vista local, consolidou uma impressão já posta aqui mesmo há duas madrugadas: o MDB santa-mariense, outrora superinfluente no Estado, se encontra desmilinguido.

Além de apenas dois nomes em quase 100, no Diretório Estadual (apenas o integrante nato, por ser ex-presidente, Cezar Schirmer, e o indicado deste, Tubias Calil), viu também emergir nomes da Quarta Colônia, com três integrantes no colegiado principal. De inhapa, o restinguense Norton Soares da Rosa, incluído na Executiva, como secretário adjunto.

PARA LER A COBERTURA DA CONVENÇÃO DO MDB, CLIQUE AQUI.

Quer dizer: o MDB santa-mariense, também com problemas de natureza econômica decorrentes de dívidas com eleições passadas, terá que se reinventar. Inclusive para poder enfrentar as agruras eleitorais de 2020 em acordo com suas tradições de grandeza. Tarefa complicada. Mas a ser enfrentada, como disse um veterano militante ao editor.

Há pelo menos duas questões a ser enfrentadas, e que são esboçadas a seguir, como forma de colocar outra vez o MDB na linha de frente da política local – o que hoje não parece ser o caso, depois de oito anos do governo municipal de Cezar Schirmer e absoluta coadjuvância do momento, no Executivo e na Câmara.

CLIQUE AQUI E CONFIRA A CHAPA DE CONSENSO DO MDB GAÚCHO

A PRIMEIRA delas é de natureza organizativa. Afora resolver a questão do passado (há quem afirme ser de perto de R$ 90 mil a dívida a ser saldada ainda do falecido PMDB), tem uma convenção a caminho.

Ela está marcada para 24 de agosto. Mas há um prazo anterior a ser cumprido. E da mesma relevância. Até o próximo dia 12, isto é, nesta sexta-feira, o partido hoje liderado por Magali Marques da Rocha (que também concorreu a vice-prefeita em 2016, na aliança com o PSB de Fabiano Pereira), terá que submeter ao Tribunal Superior Eleitoral, a lista atualizada dos filiados.

Aí então se saberá se, inicialmente, a sigla se mantém como a vice-campeã em número de militantes oficiais em Santa Maria, perdendo apenas para o PT. E, em segundo plano, mas não menos importante, serão esses os únicos filidos que poderão votar na convenção de agosto. Os que vierem depois estão fora.

A SEGUNDA questão a ser travada já é debatida nos bastidores, mas tende a se amplificar em seguida. Inclusive porque se saberá, até lá, se Cezar Schirmer continuará com seu domicílio eleitoral em Santa Maria. Dependerá disso a influência que o ex-prefeito poderá ter nos rumos locais. E então se saberá, afinal, qual o destino do emedebismo. Tanto poderá ser protagonista, apresentando um nome para concorrer a prefeito e, mesmo na hipótese de derrota, alavancar a chapa para o parlamento; quanto coadjuvante, sendo vice de alguém (vários adorariam deslocar o PP da chapa comandada pelo PSDB de Jorge Pozzobom), e tentar ocupar espaços pelo menos no Executivo.

São dramas. Há outros, correlatos. Que virão a tona quando e se for o caso.



1 comentário

  1. O Brando

    Pé de eucalipto pequeno mas que faz bastante sombra.
    Nacionalmente PMDB é uma federação. Como se vê, Renan Calheiros não existe, a turma do Sarney não existe, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *