ESTADO. Eleições 2020 e o óbvio acirramento político obrigam Palácio Piratini a agilizar sua pauta legislativa

ESTADO. Eleições 2020 e o óbvio acirramento político obrigam Palácio Piratini a agilizar sua pauta legislativa

ESTADO. Eleições 2020 e o óbvio acirramento político obrigam Palácio Piratini a agilizar sua pauta legislativa - correio-do-povo-piratini-al

Apesar de uma ampla base aliada na Assembleia, o Executivo vem enfrentando problemas. Isso pode piorar com a proximidade do pleito

Do Correio do Povo, com texto de TALINE OPPITZ e foto de GALILEU OLDENBURG (AL/Divulgação)

É extensa a pauta de interesse do governo gaúcho para ser analisada nos próximos meses. Entre elas, as principais envolvem as privatizações da CEEE, CRM e Sulgás e projetos que alteram a Previdência e as carreiras dos servidores. Apesar de uma ampla base aliada na Assembleia, o Executivo vem enfrentando problemas em temas que são uma praxe, como o aval aos indicados para a diretoria do Banrisul, devido a ruídos com aliados insatisfeitos. Os descontentamentos terão de ser equalizados com urgência para que o cronograma previsto não acabe ampliado, principalmente com a proximidade cada vez maior com as eleições de 2020, que já mobilizam os partidos e que devem acirrar os ânimos e dividir atenções no Legislativo.

Dos 55 deputados estaduais, pelo menos 16 estão cotados, ou seja, praticamente um terço. No ano que vem, a tendência é a de um número recorde de candidatos majoritários, reflexo da proibição inédita das coligações nas proporcionais, visando ao reforço do desempenho dos integrantes das nominatas. Entre os deputados estaduais, são classificados como pré-candidatos à Prefeitura de Porto Alegre Rodrigo Maroni (Podemos), Any Ortiz (PPS), Thiago Duarte (Dem), Juliana Brizola (PDT), Luciana Genro (PSol), Sebastião Melo (MDB), Sofia Cavedon (PT), Tenente-Coronel Zucco e Rui Irygaray, ambos do PSL. Alguns já foram, inclusive, citados em pesquisas de sondagem eleitoral.

No interior do Rio Grande do Sul, Luiz Fernando Mainardi (PT) deve concorrer novamente em Bagé, Jeferson Fernandes (PT), em Santa Rosa, e Zé Nunes (PT), em São Lourenço do Sul. O deputado Issur Koch (PP) também desponta como pré-candidato ao Executivo de Novo Hamburgo. Carlos Búrigo (MDB) é cotado para o comando de Caxias do Sul. A disputa na segunda maior cidade gaúcha também pode contar com a candidatura de Neri O Carteiro (Solidariedade). No Sul, o deputado Fábio Branco (MDB) pode voltar a disputar a prefeitura de Rio Grande. Kelly Moraes (PTB) também pode tentar mais um mandato em Santa Cruz do Sul.

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



1 comentário

  1. O Brando

    Acirramento político só interessa aos candidatos. População tem que ficar de olho no mundo real, não nas fantasias eleitorais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *