POLÍTICA. Após “Marcha para Jesus”, em São Paulo, Jair Bolsonaro antecipa nova candidatura presidencial

POLÍTICA. Após “Marcha para Jesus”, em São Paulo, Jair Bolsonaro antecipa nova candidatura presidencial

POLÍTICA. Após “Marcha para Jesus”, em São Paulo, Jair Bolsonaro antecipa nova candidatura presidencial - agência-brasil-bolsonaro

Aos jornalistas, Bolsonaro disse que pegou o País “arrebentado economicamente e que o governo está trabalhando para reverter situação”

Por FLÁVIA ALBUQUERQUE (texto) e ROVENA ROSA (foto), da Agência Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse na tarde desta quinta-feira (20), após participar da 27ª edição da Marcha Para Jesus, na capital paulista, que abriria mão da reeleição se o Brasil passar por uma séria reforma política. “Agora se não tiver uma boa reforma política e o povo quiser, estamos aí para continuar mais quatro anos”.

Durante seu discurso, Bolsonaro disse que o estado é laico, mas o presidente é cristão. “Vocês [evangélicos] foram decisivos para mudar o destino dessa pátria maravilhosa chamada Brasil. Todos nós compartilhamos dessa responsabilidade, onde primeiro Deus, depois a família respeitada e tradicional acima de tudo”.

Aos evangélicos, Bolsonaro disse que todos sabem que o Brasil tem problemas sérios de ética, moral e economia, mas entende ser possível reverter essa condição.

“Podemos ser o ponto de inflexão mas entendemos que é possível fazer com que um dia o Brasil seja colocado no local de destaque que merece”.

Entrevista a jornalistas

Bolsonaro disse à imprensa que pegou o Brasil arrebentado economicamente e que o governo está trabalhando para reverter a situação.

“Não há ato de corrupção no meu governo. Quem cria emprego não é presidente, é a iniciativa privada. Nós queremos que, uma vez que os empreendedores tenham confiança em nós, eles invistam”, disse o presidente.

Bolsonaro tornou a minimizar o caso de vazamentos de supostas conversas do ministro da Justiça, Sergio Moro, e disse que Moro é um patrimônio nacional, responsável por um excelente trabalho após o que chamou de saque no Brasil, resultado da corrupção. “O juiz conversa com ambas as partes. Se é que é verdade aquilo, não vejo nada demais. Eu jamais vou inquiri-lo”.

Quando questionado sobre declarações do ex-ministro general Calos Alberto Santos Cruz de que há muita bobagem no governo, Bolsonaro disse que o general é página virada. “Ele integrou o governo por seis meses e nunca disse que tinha bobagem lá dentro”.

O presidente ressaltou ainda que sobrevoou a cidade de Miracatu, no Vale do Ribeira, e verificou a existência de montanhas de grafeno (substância extraída de camadas superficiais de grafite e que, pelas suas propriedades físicas tem diversas aplicações tecnológicas), matéria-prima que o mundo inteiro quer. “Falta uma tecnologia um pouco mais apurada para que se tire o grafeno de lá”.

PARA LER A ÍNTEGRA,  NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



1 comentário

  1. O Brando

    B17 entrou no páreo depois de Dória por incrível que pareça. E de Ciro. E do Nhonho. Sem dúvida nenhuma uma reforma política é necessária.
    Montanhas de grafeno é para emoldurar e colocar na parede. Montanhas de grafite, nada mais que carbono, do qual pode-se extrair o grafeno. Carbono é o decimo quinto elemento mais comum no planeta. Ou seja, besteira em cima de besteira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *