TROCO PÚBLICO. Desembargadora manda governo gaúcho fornecer ao MP os dados sobre isenções fiscais

TROCO PÚBLICO. Desembargadora manda governo gaúcho fornecer ao MP os dados sobre isenções fiscais

TROCO PÚBLICO. Desembargadora manda governo gaúcho fornecer ao MP os dados sobre isenções fiscais - consultor-jurídico-palácio-piratini

Palácio Piratini terá que cumprir decisão judicial e encaminhar dados ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas (foto Divulgação)

Do portal especializado CONSULTOR JURÍDICO, com informações da Assessoria de Imprensa do MP/RS

A desembargadora Maria Isabel de Azevedo Souza, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, determinou que o Poder Executivo encaminhe ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas dados de isenções fiscais concedidas a empresas com atuação no estado.

A decisão não admitiu recursos interpostos pelo Estado e manteve a sentença da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, que já havia obrigado o Estado a transmitir as informações quando solicitado.

À época, a turma entendeu que o princípio da publicidade é “dever que se impõe à Administração, por força do que dispõe o art. 37 da CF, obrigando-a a ampla divulgação de seus atos em virtude do manejo da coisa pública”.

Além disso, os magistrados afirmaram que se o acesso à informação é direito subjetivo assegurado constitucionalmente, “com maior razão deve ser observado quando o pedido é formulado pelo Ministério Público, pela sua função fiscalizadora, conforme os incisos III, IV e VIII do artigo 129 da Constituição Federal”.

A decisão acolhe pedido do MP em ação civil pública que reclamou da falta de publicidade nos procedimentos de concessão de benefícios fiscais e de fiscalização do cumprimento das obrigações assumidas pelo contribuinte. O órgão pediu que a Secretaria Estadual da Fazenda fornecesse todos os dados, informações e documentos requisitados, sem invocar o sigilo.

Nos recursos, a Procuradoria-Geral do Estado alegou que havia sido negada a vigência aos artigos 5º, X e XII, 37, 70, 71 e 129, inciso IV, da Constituição da República.

O número do processo não foi divulgado.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



2 comentários

  1. Rose

    Será que vai bater patrocinador de campanha com patrocinador isento de imposto ? e o ministerio publico vai divulgar depois de saber ?vou aguardar os desdobramentos……

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *