UFSM. Docentes da UFSM, em assembleia, indicam greve para começar já dia 24. Decisão será nacional

UFSM. Docentes da UFSM, em assembleia, indicam greve para começar já dia 24. Decisão será nacional

UFSM. Docentes da UFSM, em assembleia, indicam greve para começar já dia 24. Decisão será nacional - sedufsm

Greve, segundo a posição da Assembleia, teria 5 reivindicações principais, dentre estas a imediata recomposição de bolsas e verbas

Por BRUNA HOMRIC0H (texto) e IVAN LAUTERT (foto), da Assessoria de Imprensa da Sedufsm

Reunidos (as) em assembleia na tarde desta quarta-feira, 11 de setembro, os (as) docentes do campus sede da UFSM reforçaram a decisão anterior e mantiveram indicativo de greve por tempo indeterminado. A novidade, agora, é que o movimento paredista teria data para começar: 24 de setembro. Cabe lembrar, contudo, que este é apenas um indicativo para ser avaliado nacionalmente pelas outras seções sindicais que compõem a base do ANDES-SN. Na pauta da greve estariam os seguintes pontos:

  1. Imediato descontingenciamento das verbas das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes);
  2. Imediata recomposição das bolsas de pesquisa e pós-graduação
  3. Revogação da Emenda Constitucional (EC) 95, aprovada ainda no governo Temer e que congela os investimentos públicos por 20 anos;
  4. Rejeição integral ao ‘Future-se’;
  5. Atendimento, por parte do governo, da pauta de reivindicações dos docentes das IFES, aprovada no último Congresso do ANDES-SN e protocolada no início deste ano no Ministério da Economia. A pauta está disponível na aba ‘Relatórios e documentos’ do site da Sedufsm.

Além de aprovar o indicativo de greve por tempo indeterminado, os (as) docentes presentes à assembleia também rejeitaram o indicativo, proposto pela diretoria do ANDES-SN, de greve por 48 horas.

O resultado desta assembleia será levado pelo presidente da Sedufsm, Júlio Quevedo, à reunião do Setor das IFES do Sindicato Nacional, que ocorrerá nesta quinta, 12. Lá, as seções sindicais de todo o país deverão apresentar os resultados de suas assembleias e, a partir daí, serão definidos os rumos do movimento docente. Independentemente do resultado nacional (greve de 48 horas ou greve por tempo indeterminado), a Sedufsm voltará a convocar assembleia para que a categoria avalie os novos encaminhamentos nacionais. Esta assembleia ocorrerá na próxima semana, ainda sem data definida…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



1 comentário

  1. Zé Ruas

    1, 2, 3.. 30?
    Alguém fora da foto?
    Ampla participação dos mais de 2000 docentes.
    1% do quadro da UFSM?
    Não chega a 2%.

    Quantos associados tem o $edufsm?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *