ARTIGO. Jorge Pozzobom e a implantação, semana passada, da “Central Telefônica” do SAMU na cidade

ARTIGO. Jorge Pozzobom e a implantação, semana passada, da “Central Telefônica” do SAMU na cidade

ARTIGO. Jorge Pozzobom e a implantação, semana passada, da “Central Telefônica” do SAMU na cidade - pozzobom-artigo-2Central Telefônica do SAMU: investimento em Saúde e compromisso com as pessoas

Por JORGE POZZOBOM (*)

Ainda em 2012, quando era deputado estadual e coloquei o meu nome à disposição da população de Santa Maria pela primeira vez para concorrer ao cargo de prefeito, eu levantei a bandeira de que a nossa cidade precisava de uma Central Telefônica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). O serviço já estava funcionando desde 2011 por aqui, mas a triagem via Porto Alegre, para quem discava o 192, acabava truncando o atendimento e, o que é muito grave, em algumas situações, até custando vidas.

Pois, quando eu assumi a Prefeitura, eu reforcei esse compromisso com a população de Santa Maria e, agora, temos a nossa Central Telefônica do SAMU. Os atendimentos, feitos por médicos de Santa Maria, começaram na segunda-feira da semana passada (11) e, nesta segunda-feira, recebemos uma visita técnica de representantes do Departamento de Regulação Estadual do SAMU a Santa Maria, que marcou oficialmente a certificação da Central Telefônica no Município. Estamos aprovados. E com louvor.

A implementação da Central Telefônica do SAMU é resultado de uma série de esforços que estamos empreendendo desde o dia 1º de janeiro de 2016. Enquanto ainda aguardávamos o sinal verde do Governo do Estado para trazer a regulação do serviço para Santa Maria, construímos com o Governo Federal outra conquista importantíssima: a renovação da frota de ambulâncias. Hoje, temos quatro veículos totalmente equipados e novos em folha (além de uma quinta ambulância reserva), uma situação excelente e que também era uma reivindicação, desde 2011, para melhoria do serviço.

Sem falsa modéstia, eu me arrisco a dizer que Santa Maria tem a melhor Central Telefônica do SAMU do Interior do Estado. Porque nós investimos nisso. Suplementamos o contrato com a empresa prestadora do serviço em R$ 52.793 mensais. Com esse valor, estamos simplesmente dobrando a equipe médica local. Diferentemente de outras cidades, nós não reduzimos nem mexemos no time de profissionais emergencistas, aqueles que vão diretamente ao local prestar atendimento, e ainda buscamos reforços. Contratamos sete médicos que se dedicarão exclusivamente à regulação, em outras palavras, a fazer o primeiro atendimento por telefone para garantir que o socorro chegue o mais rápido possível para quem mais precisa.

Eu costumo dizer que não se pode mensurar em cifras quando estamos falando em investimentos nas áreas de Saúde, Segurança e Educação. Mas, neste caso, eu preciso abrir uma exceção. Até porque os números falam por si: em apenas uma semana da Central Telefônica do SAMU em Santa Maria, reduzimos o tempo médio de resposta de 15 minutos para apenas 1min30seg. Esse é o dever do gestor público, ou seja, empregar os recursos dos contribuintes para a melhoria efetiva dos serviços prestados à população. E, esse é o compromisso que eu, Jorge Pozzobom, assumi com os santa-marienses. Isso é respeitar e salvar vidas.

 (*) JORGE POZZOBOM é o Prefeito Municipal de Santa Maria. Sua trajetória como agente político começou com dois mandatos de vereador, tendo depois se alçado, pelo voto popular, à Assembleia Legislativa. Em meio ao segundo período, em 2016, foi eleito para conduzir o Executivo santa-mariense. Ele escreve no site às terças-feiras.

OBSERVAÇÃO DO SITE: A  foto que ilustra este artigo, de Ariéli Ziegler (AIPM), é do prefeito municipal e a equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU)



1 comentário

  1. Rose

    E as filas e as longas esperas por atendimento nos postos continuam a mil….de que adianta pegar o paciente correndo se ele morre esperando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *