BARRACO DA ALEMOA. Frida ZenKalo toma as dores de motoristas e pedestres, por conta das obras viárias

BARRACO DA ALEMOA. Frida ZenKalo toma as dores de motoristas e pedestres, por conta das obras viárias

BARRACO DA ALEMOA. Frida ZenKalo toma as dores de motoristas e pedestres, por conta das obras viárias - barraco-da-alemoa-1“A divina comédia” pozzobonesca

A obra “Divina Comédia” do italiano Dante Alighieri é dividida em três partes. A primeira delas é o “Inferno”, e na sequência as outras duas: “Purgatório” e “Paraíso”. É um pouco do que temos vivido nas ruas de Santa Maria. Andamos pelo purgatório, passamos pelo inferno, mas o difícil é chegar ao paraíso.

Um bom exemplo é o da região da rua Riachuelo, nas proximidades da Ângelo Uglione. Depois de semanas e semanas em obras, o trecho foi liberado, mas os motoristas ainda não se livraram do purgatório como mostra a foto a seguir. Crateras e asfalto cedendo seguem fazendo parte da via crucis de quem passa por ali.

BARRACO DA ALEMOA. Frida ZenKalo toma as dores de motoristas e pedestres, por conta das obras viárias - barraco-riachuelo-2Assim como na obra dantesca, o purgatório é apenas um passo. O inferno ainda está por vir. E ele pode estar a poucas quadras da rua Riachuelo. Na André Marques, entre a Venâncio Aires e a ruas dos Andradas, devido a uma obra próxima à Silva Jardim, que interrompe aquele trecho, nos horários de pique, passar pela André Marques é quase o mesmo que pagar os pecados, enfrentar uma grande expiação. Como se vê na foto a seguir, os motoristas e passageiros de ônibus sofrem no engarrafamento, mas também os pedestres, que precisam esperar um tempão para poder atravessar a via.

BARRACO DA ALEMOA. Frida ZenKalo toma as dores de motoristas e pedestres, por conta das obras viárias - barraco-andré-marques



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *