CONGRESSO. Até bancada do governo colabora para esvaziar plenário, na abertura de novo Ano Legislativo

CONGRESSO. Até bancada do governo colabora para esvaziar plenário, na abertura de novo Ano Legislativo

CONGRESSO. Até bancada do governo colabora para esvaziar plenário, na abertura de novo Ano Legislativo - congresso-em-foco-fim-do-recesso

Um plenário esvaziado, inclusive por deputados e senadores governistas, marcou o recomeço oficial das atividades parlamentares

Do site Congresso em Foco, com texto de ERICK MOTA e VICTOR FARIAS e foto de Reprodução

O Congresso Nacional retomou hoje os trabalhos legislativos, após o recesso de fim de ano. Em sessão solene conjunta da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, foi lida a mensagem encaminhada pelo presidente da República ao Parlamento, com as prioridades do Executivo para 2020.

O Plenário da Casa contou com a presença de algumas dezenas de congressistas. Segundo a deputada Maria do Rosário (PT-RS), que estava de saída do Plenário no momento em que a reportagem falou com ela, o esvaziamento acontece em protesto contra o governo de Jair Bolsonaro, que foi representado na solenidade pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Contrariando o que declarou Rosário, o esvaziamento do Plenário também se deu por parte de aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A reportagem conversou com membros do Psol que não souberam afirmar se tratava-se de uma manifestação. “Os trabalhos retomam mesmo na terça-feira (4), deve ser por isso que está vazio”, disse reservadamente uma pessoa ligada à siga.

Mas para o deputado Camilo Capiberibe (PSB-AP), a baixa adesão de membros do governo demonstra desarticulação do Executivo no parlamento. “Nós não vimos os ministros prestigiando este momento, talvez o próprio presidente Jair Bolsonaro esvaziando este momento aqui do Congresso. Talvez seja até uma própria estratégia do Planalto”, avaliou. O deputado da oposição acredita que isso demonstra os desafios que o governo encontrará no Legislativo.

Otimista quanto as pautas reformistas que os congressistas votarão no decorrer do ano, o líder da maioria, Agnaldo Ribeiro (PP-PB), quando questionado sobre o esvaziamento do governo na solenidade, se mostrou menos empolgado com as prioridades do Executivo. “Eu não vou fazer esse juízo de valor. O que eu posso dizer é o seguinte, eu acho que nós temos hoje uma expectativa em relação a agenda do parlamento. O parlamento demonstrou no ano passado a sua responsabilidade para com o país. Nós vamos tocar a agenda que o país precisa”, disse Agnaldo.

O clima nos bastidores era de espanto quanto ao esvaziamento do Plenário. Os presidentes da Câmara e do Senado, se recusaram a falar com a imprensa e saíram sem dar entrevista…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



1 comentário

  1. O Brando

    Cascata, Congresso só funciona de terça a quinta. Coisa só engrena depois do carnaval e neste ano para de junho a outubro. Sempre foi assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *