EducaçãoEstadoSaúde

CORONAVÍRUS. Governo anuncia a suspensão das aulas no Rio Grande do Sul ao menos até fim de abril

Eduardo Leite anunciou, nesta terça-feira, suspensão das aulas no RS até o fim de abril , durante transmissão direta pelo Facebook

Da redação do site do Correio do Povo, com foto de Reprodução

O governador Eduardo Leite anunciou nesta terça, em entrevista coletiva, a prorrogação da suspensão das aulas no Rio Grande do Sul até o dia 30 de abril. O prazo anterior para retorno era 3 de abril. A medida, conforme Leite, é válida para todas as escolas de ensino público e privado do RS, assim como universidades e demais instituições de ensino. “Se impõe essa restrição em razão da vida, da saúde, dos gaúchos”, destacou. O decreto será publicado nesta quarta no Diário Oficial.

Embora crianças e jovens não estejam entre a taxa de letalidade do Covid-19 no RS, a prorrogação da determinação é necessária, segundo Leite, porque eles são potenciais “agentes transmissores reunidos em sala de aula”. O governador apontou que o atual período de contágio no Estado tem que ser de permanência de ações rígidas. “Não vemos a possibilidade de regredir nas medidas de restrições de contato”, ressaltou. O calendário escolar público e privado do Estado foi suspenso gradativamente desde 19 de março por conta do Covid-19.

Os dados mais atualizados do boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES) apontam que o Rio Grande do Sul possui 274 casos confirmados do novo coronavírus e quatro mortes pela doença, sendo duas em Porto Alegre e duas em Novo Hamburgo. Do total de casos, até esta terça-feira, 161 estão localizados em Porto Alegre e os demais distribuídos em 49 municípios gaúchos.

Atividades escolares à distância

Para evitar que os alunos da rede estadual sejam prejudicados, o governo estadual implementou uma metodologia das aulas programadas, envolvendo diversos recursos pedagógicos e tecnológicos os quais as escolas dispõem, “incluindo plataformas digitais e aplicativos variados”.

Conforme o governo, a atividades que serão desenvolvidas, por meio das aulas programadas, estarão disponibilizadas de modo “que todos tenham acesso, seja por mensagens de WhatsApp ou Facebook, compartilhamento de arquivos de áudio e vídeo, por e-mail, por salas virtuais ou até mesmo pela entrega de materiais didáticos nas áreas rurais do Estado”.

Já os professores da rede ensino devem participar de uma forma on-line sobre a elaboração deste novo currículo. O Estado estima que mais de 42 mil docentes tenham participação direta neste novo formato de ensino.

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

PARA CONFERIR A ÍNTEGRA DA MANIFESTAÇÃO, CONFIRA O VÍDEO ABAIXO!

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo