VÍDEONOTA. Decisão (quase) unânime dos petistas locais, que se aliarão, no pleito, a partido do Centrão

VÍDEONOTA. Decisão (quase) unânime dos petistas locais, que se aliarão, no pleito, a partido do Centrão

VÍDEONOTA. Decisão (quase) unânime dos petistas locais, que se aliarão, no pleito, a partido do Centrão - vídeonota-1A posição do PT santa-mariense, anunciada após reunião ampliada e virtual do seu Diretório, na sexta-feira, ainda que possa ter correspondente recente – como a aliança com o PTB, em 2008 – chama a atenção para o fato de o aliado escolhido como preferencial, ser nacionalmente reconhecido como integrante ativo do Centrão (que, por sinal, está a entrar no governo de Jair Bolsonaro). No caso, o PSD, de Marion Mortari e Deili Silva, potenciais candidatos a vice, na chapa a ser liderada pelo petista Luciano Guerra.

A questão é: não obstante a resistência diminuta internamente, os petistas assumiram essa decisão que, ideologicamente, pode (e é) contestada. Faz sentido? É do jogo? Tem alguma outra consequência? Bueno, é do que o editor trata na vídeonota desta semana. Clique abaixo e confira!

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *