FUTURO? Microsof substitui por robôs jornalistas do site MSN. Medida vale para o Reino Unido e nos EUA

FUTURO? Microsof substitui por robôs jornalistas do site MSN. Medida vale para o Reino Unido e nos EUA

FUTURO? Microsof substitui por robôs jornalistas do site MSN. Medida vale para o Reino Unido e nos EUA - fdf86051-imprensa-msnDa redação do Portal Imprensa, com foto de Reprodução/The Guardian

Jornalistas do site MSN do Reino Unido e dos Estados Unidos foram demitidos depois que a Microsoft decidiu substituí-los por software de inteligência artificial. Os profissionais eram responsáveis pela curadoria e edição de conteúdos.

Outras equipes ao redor do mundo devem ser afetadas pela decisão da Microsoft de automatizar a curadoria de seus sites de notícias.

Segundo o jornal The Guardian, os funcionários que mantêm as páginas iniciais de notícias no site MSN da Microsoft e em seu navegador Edge – usado por milhões de britânicos todos os dias – foram informados de que não serão mais necessários porque os robôs agora podem fazer seu trabalho.

A partir de julho, a página inicial do MSN no Reino Unido deixará de apresentar notícias produzidas por jornalistas da PA Media, anteriormente a Press Association. Assim, cerca de 27 pessoas empregadas pela PA Media perderam o emprego.

Os funcionários foram informados que a decisão da Microsoft de encerrar o contrato com a PA Media foi tomada como parte de uma mudança global em favor de atualizações automatizadas de notícias.

O jornal The Guardian ouviu um membro que trabalhou na equipe que disse: “Eu passo todo o meu tempo lendo sobre como a automação e a IA vão assumir todos os nossos trabalhos, e aqui estou: a AI assumiu o meu trabalho”.

O profissional acrescentou que a decisão de substituir humanos por software era arriscada, pois a equipe existente tinha o cuidado de seguir “diretrizes editoriais muito rígidas”, o que assegurava que os usuários não tivessem contato com conteúdo violento ou inapropriado ao abrir seu navegador, de particular importância para usuários mais jovens.

EUA

Segundo o jornal The Seattle Times, a Microsoft não renovará os contratos de dezenas de empresas terceirizadas que trabalham no MSN dos EUA e planeja usar a inteligência artificial para substituí-los.

Cerca de 50 funcionários – contratados pelas agências Aquent, IFG e MAQ Consulting – foram notificados que seus serviços não seriam mais necessários após 30 de junho.

Alguns funcionários, falando sob condição de anonimato, disseram que o MSN usará a IA para substituir o trabalho de produção que estavam realizando. Esse trabalho inclui o uso de algoritmos para identificar as principais notícias de dezenas de parceiros de publicação e ajudar a otimizar o conteúdo reescrevendo títulos ou adicionando melhores fotografias ou apresentações de slides. “Ele está semiautomatizado há alguns meses, mas agora está a toda velocidade”, disse um dos contratados. “É desmoralizante pensar que as máquinas podem nos substituir, mas lá está você”.

MSN Brasil

O Portal Imprensa apurou que não houve a renovação do contrato da Microsoft com a agência responsável pelo site MSN Brasil.

Questionada sobre o fim do contrato e sobre a possibilidade da adoção de inteligência artificial na redação brasileira, a assessoria de imprensa da Microsoft não afirmou nem negou as informações. Apenas divulgou o seguinte posicionamento: “Como todas as empresas, avaliamos nossos negócios regularmente. Isso pode resultar em aumento do investimento em alguns lugares e, de tempos em tempos, readequação em outros. Essas decisões não são resultados da atual pandemia”.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



2 comentários

  1. O Brando

    A nobre disciplina do auto-engano. Pessoas acreditam que fazem trabalho ‘criativo’, logo não serão substituídas. Pois bem, se dividirmos o espectro da competência em 4 faixas de 25%, uns 75% dos profissionais em muitas áreas podem ser substituídas em breve (nesta hora muita gente pensa ‘óbvio que EU estou nos 25% ‘top’). Já existem pesquisas com IA tentando escrever roteiros de teatro/audiovisual. Burocratas, ‘consultores’, gente que com a pandemia pode fazer todo serviço sem sair de casa, são os primeiros da fila.
    Pessoal do direito: um advogado em breve fara o trabalho de 10 ou 15, famoso aumento de produtividade.
    Medicina: existem pulseiras fitness que monitoram horas de sono, sedentarismo, exercício, pressão sanguínea, batimentos cardíacos e temperatura. Conectar numa IA que avisaria o plano de saúde/médico em caso de problema seria fácil

  2. Ignez Andrade

    Um robô jornalista redigiu essa manchete? rsrsrs Microsoft substitui jornalistas do site MSN por robôs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *