EDUCAÇÃO. Decidido: aulas só no modo remoto na UFSM. Segundo semestre vai até fevereiro de 2021

EDUCAÇÃO. Decidido: aulas só no modo remoto na UFSM. Segundo semestre vai até fevereiro de 2021

EDUCAÇÃO. Decidido: aulas só no modo remoto na UFSM. Segundo semestre vai até fevereiro de 2021 - daa39a6c-ufsm-aulas

Campus de Camobi, assim como os demais, da UFSM, não verão alunos tão cedo. Decisão é que aulas serão apenas no modo remoto

Por MARIANA HENRIQUES (com imagem de Reprodução), da Assessoria de Imprensa do Gabinete do Reitor

Durante manhã e tarde desta segunda-feira (10), em reunião virtual do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, foi aprovada por unanimidade a resolução que regula o Regime de Exercícios Domiciliares Especiais (Rede) na Universidade Federal de Santa Maria. Com a aprovação, ficou definido que o segundo semestre letivo de 2020 acontecerá através do Rede.

Desde março deste ano, em virtude da pandemia de Covid-19, as atividades acadêmicas presenciais estão suspensas. Com a nova resolução ficam regulamentadas as ações desenvolvidas através do Regime, como aulas remotas e práticas, eventos, encontros, bancas, formaturas, estágios, entre outros.

Estruturado como uma combinação dos exercícios domiciliares com as características do ensino remoto e da mediação por Tecnologias Educacionais em Rede (TER), o Rede deve ser utilizado de forma transitória, durante o período de suspensão das atividades presenciais. Para tal, todas as atividades em que seja possível sua execução sem a presencialidade, poderão utilizar Ambientes Virtuais de Ensino-Aprendizagem.

Desenvolvimento de atividades acadêmicas

Com a votação favorável à regulamentação do Regime de Exercícios Domiciliares Especiais, via de regra, todas as atividades acadêmicas do segundo semestre letivo de 2020 acontecerão via Rede.

As atividades do primeiro semestre de 2020, cuja adesão ao Rede foi facultativa tanto de docentes quanto para estudantes, poderão ser recuperadas posteriormente, com a definição de um Calendário Suplementar, no retorno da presencialidade.

LEIA OUTRA VERSÃO PARA A NOTÍCIA E A AVALIAÇÃO DE DCE E SEDUFSM (AQUI)

Para as atividades práticas e estágios foi estipulado, também, que poderão ser  desenvolvidos por intermédio de Tecnologias Educacionais em Rede, obedecendo às Diretrizes Nacionais Curriculares aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação.

Ficou definido, ainda, que bancas de defesa poderão ser realizadas em ambientes virtuais ou através de pareceres. Os prazos de qualificação e defesas de dissertações e teses são possíveis de prorrogação. Já os graduandos que integralizarem a carga horária total do curso poderão realizar formaturas via Webconferência, conforme definições das normativas da UFSM, ou em gabinete, para, no máximo, 2 formandos.

Transição entre períodos letivos e flexibilização de calendário acadêmico 

As disciplinas que tiveram seus conteúdos e avaliações concluídas em 2020/1 deverão ter seus discentes com situação individual encerrada. Os estudantes que não acompanharam o primeiro semestre, poderão regulamentar sua situação na recuperação presencial, que terá, ao menos, 15 semanas de atividades.

O Calendário Acadêmico também foi definido:

– Fechamento parcial na modalidade REDE do 1º semestre de 2020: 04/10/2020

– Início do Segundo Semestre de 2020: 19/10/2020

– Final do Segundo Semestre de 2020: 13/02/2021

Plano de Retorno

O Plano de Retorno às atividades presenciais será elaborado por uma equipe multidisciplinar de biossegurança e submetido à apreciação das unidades de ensino, pró-reitorias, coordenações de cursos, departamentos didáticos, comunidade acadêmica em geral e comissões de biossegurança setoriais. O seu objetivo será traçar estratégias concretas e dirigidas, para o retorno das atividades presenciais…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI



2 comentários

  1. O Brando

    Muitas IFES simplesmente suspenderam as aulas. E agora José?
    Situação vai pelo menos ate o próximo semestre.
    Alas, ‘Brasil é um dos poucos países com capacidade de receber a tecnologia para fazer as vacinas’. Transferência de tecnologia virou ‘vantagem’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *