DestaqueSanta Maria

CIDADE. Ações “anticovid” têm 229 vistorias na semana. Prefeitura recebeu mais de mil denúncias

Apenas de aglomeração de pessoas foram quase 500. Houve 22 notificações

Fiscalização emitiu 22 notificações a estabelecimentos por descumprimento de decretos municipais (foto João Alves/Prefeitura)

Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura / Por Diniana Rubin

A Prefeitura de Santa Maria, por meio da Fiscalização Municipal Integrada, está ainda mais rigorosa com as ações da força-tarefa em meio ao momento delicado da pandemia de Covid-19. De 19 a 25 de fevereiro, foram realizadas 229 vistorias e houve 22 notificações junto a pessoas físicas e jurídicas por descumprimento de decretos municipais. Durante esse período, o Centro Integrado de Segurança Pública (Ciosp) recebeu 468 denúncias de casos de aglomeração de pessoas e 729 denúncias de outros tipos.

Com o agravamento da pandemia no Estado no últimos dias, as medidas estão ainda mais severas para conter o aumento de casos de Covid-19. Com esse objetivo, a Prefeitura, com o apoio dos órgãos de segurança pública, realizou uma força-tarefa entre a noite de quinta-feira (25) e a madrugada desta sexta-feira (26), para fiscalizar o cumprimento das medidas de segurança sanitária e de distanciamento social no Município. A força-tarefa é regida pela Fiscalização Municipal Integrada e contou com o apoio da Polícia Civil e da Brigada Militar. A operação foi realizada por três equipes que se dividiram pelos bairros Camobi, Rosário e Nonoai. A fiscalização ocorreu das 19h até pouco mais da 1h da madrugada, tendo sido feitas 31 vistorias e três notificações por descumprimento de decretos.

A fiscalização esteve em 12 distribuidoras, e apenas uma foi notificada por estar atendendo cliente após horário permitido pelo Decreto Estadual, na Rua Silva Jardim, Bairro Rosário. Outra ação ocorreu em 16 bares e restaurantes, sendo que dois locais foram notificados por estar com clientes consumindo no interior dos estabelecimentos após o horário permitido: um na Rua dos Andradas e outro na Avenida Borges de Medeiros. Dois trailers também foram vistoriados, tendo sido constatado que estavam de acordo com a legislação. Já na Rua João Pereira Henrique, no Bairro Cerrito, a fiscalização precisou dispersar uma aglomeração.

De acordo com o superintendente de Fiscalização, Marcio Abbade, a operação teve um ponto positivo, pois foi constatado que a grande maioria está obedecendo à legislação vigente, mas, diante do momento atual, as ações serão ainda mais intensificadas e rigorosas. 

“Após um final de semana intenso, com dispersões de várias aglomerações, encerramento de pelo menos quatro festas clandestinas, e mais dezenas de vistorias realizadas, a semana começou ainda num ritmo constante ao que estávamos enfrentando. Porém, com a possibilidade do agravamento das contaminações pela Covid-19, aos poucos a demanda foi baixando. A situação mudou nesta quinta-feira (25), após a confirmação anunciada pelo governador Eduardo Leite, de que o Estado todo entraria em bandeira preta e suspendendo a cogestão de algumas regiões. A partir deste ato, a ordem passou a ser mais rigor nas vistorias e fiscalizações. Tanto que, agora, juntou-se a nossa força-tarefa o efetivo da Polícia Civil”, diz Abbade.

Ainda conforme o superintendente, a fiscalização seguirá atenta a qualquer indício de irregularidades com foco redobrado nas festas clandestinas e nas aglomerações em geral. 

“A ordem é, além de multar, conduzir os responsáveis pelos locais e, com eles, os organizadores até a Delegacia de Pronto-Atendimento. A população precisa entender que, novamente, precisamos recuar, manter os protocolos sanitários para que consigamos conter o crescente avanço da pandemia”, pontua ele.

Denúncias de descumprimento das medidas podem ser feitas à Guarda Municipal pelos números 153, (55) 99217-8122, 99167-4728 e 99167-8452 (os celulares, somente via WhatsApp). A Superintendência da Guarda Municipal enfatiza que esses números são exclusivos para o registro de denúncias.

Ações da Fiscalização Municipal Integrada

Entre 19 e 25 de fevereiro

• Denúncias recebidas – 729

• Denúncias de casos de aglomeração de pessoas recebidas – 468

• Vistorias realizadas – 229

• Notificações emitidas – 22

Alvos das vistorias

• Academia – 1

• Armazém – 1

• Atividades recreativas – 7

• Bar – 22

• Cartório – 1

• Casa noturna – 1

• Clínica – 2

• Comércio em geral – 24

• Comércio informal – 1

• Conveniência – 6

• Distribuidoras de bebidas – 29

• Estabelecimento de ensino – 8

• Farmácia – 1

• Hotel – 1

• Lancheria – 13

• Lanches rápido – 4

• Outros – 54

• Padaria – 5

• Posto de combustível – 1

• Residência – 1

• Restaurante – 17

• Supermercado – 16

• Trailer – 13

Notificações emitidas

• Bar – 1 (não fazer o uso de EPIs)

• Clínica – 1 (desacordo com as medidas sanitárias exigidas)

• Conveniência – 1 (clientes comprando no interior da loja)

• Estabelecimento de ensino – 1 (vedada as atividades de ensino na modalidade presencial por 5 dias)

• Lanches rápidos – 1 (aberto ao público fora do horário permitido)

• Outros – 2 (aglomerações)

• Outros – 1 (aglomeração e festa clandestina)

• Outros – 1 (sem fazer uso obrigatório de máscara)

• Outros – 6 (consumo de bebida em via pública)

• Outros – 1 (gravação de live com sete pessoas fora do horário permitido)

• Restaurante – 5 (realizar autosserviço)      

• Trailler – 1 (em funcionamento fora do horário permitido)

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. São Paulo, fonte é rádio de lá, tem novo esquema. Van ‘lacrada’ (não é possível ver o interior) para numa rua secundária. Passageiros chegam em carros particulares/aplicativos e embarcam. Quando a lotação está esgotada dirigem-se para uma balada clandestina. Celulares desligados. Os participantes não ficam sabendo onde é.
    Dizem por aí que a cotação da vacina no mercado negro é 800 pila. Dá para imaginar que tem vacina falsa circulando.
    Como dizia o finado Grão de Bico ‘o tempora, o mores’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo