Destaque

CÂMARA. Vereadora Marina Callegaro se posiciona contra “kit covid” e defende vacina para todos

Petista ressaltou que coquetel é contraindicado por diversas entidades

“Santa Maria não pode ser a contramão do mundo”, diz a vereadora Marina Callegaro. Foto Allysson Marafiga / Câmara / Arquivo

Por Maiquel Rosauro

A vereadora Mariana Callegaro (PT) também entrou na discussão sobre o “kit covid”, defendido por médicos de Santa Maria e alvo de um projeto de lei de Tubias Calil (MDB). A petista se posicionou de forma contrária à proposta do emedebista, que prevê a distribuição gratuita de medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina.

“Santa Maria não pode ser a contramão do mundo. Um projeto de lei foi protocolado na Câmara pedindo que sejam adotados, no município, os protocolos de tratamento precoce. Desde já informo que SOU CONTRA!”, postou Marina no Facebook.

A parlamentar ressaltou que diversas entidades nacionais e internacionais se posicionaram contra o coquetel de medicamentos.

“Atualmente, esse mix farmacológico não é reconhecido ou chega a ser contraindicado por entidades como a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos e da Europa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI)”, alega Marina.

A vereadora também ressaltou que a Justiça suspendeu esse tipo de tratamento em outros municípios, como foi o caso recente de Porto Alegre.

“Só a vacina é a solução e muito me intriga a falta de pressão para termos a vacina para todas e todos. Essa é a solução! Vacina Já!”, diz a parlamentar.

Conforme o monitoramento de vacinação da Prefeitura de Santa Maria, até o momento, 28.610 doses do imunizante contra covid-19 foram recebidas, 19.677 distribuídas e 15.775 foram aplicadas.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. Kuakuakuakuakua! Perderam totalmente a noção do ridículo! Kuakuakuakuakua!
    Resumo da ópera: está todo mundo @nd@ndo para toda a situação. Os que não conseguirem entender perguntem a algum conhecido.

  2. Congratulações cara edil. Não se preocupe. A população está atenta a esses “fazedores de milagres”que o mundo inteiro já rechaçou. A Ciência rechaçou. São “us bunitu querendo ser mais bunitus”. Jogam para a platéia. Transferem a responsabilidade para os médicos. E Santa Maria fica a deriva. Devemos cobrar de quem votou nele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo