DestaqueEstado

ASSEMBLEIA. Valdeci alerta para o que considera fragilização no combate à Covid no território gaúcho

Falta de quorum na Comissão de Saúde impediu votação de audiência pública

Texto e imagem distribuídos pela Assessoria de Imprensa do Parlamentar

O deputado petista Valdeci Oliveira (foto ao lado) teceu diversas críticas ao governo do estado quanto ao enfrentamento da pandemia da Covid-19 e as mudanças que vem sendo anunciadas, a conta-gotas e ainda não oficialmente, pelo executivo estadual no modelo de distanciamento controlado.  A fala do parlamentar se deu na manhã desta quarta-feira (5), no momento em que, por falta de quórum regimental durante a reunião ordinária da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, não foi possível aprovar requerimento para a realização de audiência pública para justamente discutir o tema.

De acordo com Valdeci, a audiência pública solicitada pela bancada petista no parlamento gaúcho visa realizar um amplo debate com o governo e com a sociedade num momento em que a pandemia tem recrudescido e continua a tirar muitas vidas.

“O governo propôs um novo modelo sem sequer fazer um debate organizado com a sociedade, com os prefeitos e com a área científica. Com todo respeito, mas o Executivo perdeu a credibilidade no enfrentamento à Covid. Há uma esculhambação na questão das vacinas. Não há segunda dose. Está muito confuso. O governador poderia ter feito um grande movimento para comprar vacina. A Assembleia ajudou nisso, mas o governo fez apenas movimentos pequenos nesse sentido. E essa falta de atitude aconteceu mesmo com o Estado registrando um número de mortes muito alto. A Covid ainda não acabou. Pelo contrário, ela está muito forte ainda e continuamos convivendo com um risco altíssimo de contaminação em todas as regiões. Os dados mostram que estamos muito fragilizados no combate a essa praga”, protestou Valdeci, lembrando que o RS já ocupa a quarta posição no número absoluto de óbitos entre os estados brasileiros, com mais de 25 mil vidas perdidas.

O deputado também demonstrou preocupação com a situação da Covid-19 em Santa Maria. “Na minha cidade, aumentou muito, de novo, a ocupação de leitos, seja na UTI, seja nos demais setores. A quantidade de mortes diárias é muito alta ainda. Já são quase 600 pessoas que perderam a vida na cidade e 25 mil no Rio Grande do Sul. É uma tragédia. A sensação é que estamos banalizando a morte, o que é muito triste e terrível”, acrescentou.

Vacinação
Por solicitação de Valdeci, o espaço na Comissão dedicado a assuntos gerais foi ocupado por Letícia Raupp, representando o Conselho Regional de Farmácia do RS (CRF), que falou sobre a semana estadual do “Uso Racional dos Medicamentos”, lei criada em 2014 pelo parlamentar e que busca conscientizar a população sobre a relevância do tema. Estudos realizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que mais da metade dos pacientes não utiliza corretamente os medicamentos ministrados, o que traz riscos à saúde humana.

Neste sentido, e na atual conjuntura, Letícia Raupp centrou sua fala na importância da vacinação da população, não somente contra a covid-19.  Para a profissional, que destacou que, há seis anos, a cobertura vacinal do país vem caindo muito, pelo menos desde 2018 o Brasil não tem atingido as metas propostas.

“No caso do sarampo, por exemplo, que estava erradicado, perdemos a certificação da Sociedade Pan-americana de Saúde, pois registramos mais de 18 mil casos. E isso tem acontecido também com o HPV e agora com a febre amarela. Vacina é prevenção, vacina salva vidas”, enfatizou.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo