DestaqueSaúde

COVID. Prefeitura começa a vacinação em pessoas com comorbidade. Saiba onde e o que é necessário

Ações são organizadas de forma descentralizada. O objetivo é melhor acolher

Ações organizadas de forma descentralizada para haver melhor acolhimento ao novo grupo prioritário (foto João Vilnei/Prefeitura)

Por Manuela Vasconcellos / Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal

Com mais de 64 mil pessoas já imunizadas com pelo menos uma dose contra a Covid-19, a Prefeitura de Santa Maria avança na vacinação das pessoas com comorbidade. Conforme o Plano Nacional de Imunização (PNI), trata-se de novo grupo prioritário de aplicação de doses para combater o coronavírus. Integrantes desse grupo devem ficar atentos aos dias e horários de vacinação, bem como aos documentos exigidos para a comprovação da doença, seguindo resolução 89 da Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

A partir desta terça-feira (4), a Prefeitura organiza iniciativas descentralizadas e com doses disponíveis em menos locais (confira abaixo). Os objetivos são garantir melhor acolhimento para as pessoas com comorbidades e mais segurança aos pacientes durante a verificação dos documentos que comprovarão a doença. 

A orientação do Ministério da Saúde é a apresentação de um comprovante, como receita médica, laudo de exame ou qualquer outro documento comprobatório junto com uma declaração. Todos os documentos terão de ser em duas vias. A validade dos documentos é variável, uma vez que muitos diagnósticos são permanentes.

Até o momento, foram definidas ações para pessoas com doenças renais que fazem tratamento por diálise e para quem tem alguma comorbidade. A vacinação destinada a gestantes e puérperas com comorbidade e a pessoas com síndrome de down depende da definição dos locais. Um levantamento junto à Secretaria de Desenvolvimento Social está sendo feito para efetivar a imunização em pessoas com deficiência permanente cadastradas no programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC). Novas ações serão divulgadas nos próximos dias.

Idosos seguem sendo vacinados

Mesmo com o avanço da imunização para um novo grupo prioritário, a Prefeitura de Santa Maria dá continuidade para a vacinação de idosos. Nesta segunda-feira (3), ocorreram ações em dois distritos. Em Santa Flora, 52 pessoas com 60 anos ou mais receberam a primeira dose contra a Covid-19. Já em Santo Antão, 20 pessoas de 64 anos ou mais completaram o ciclo vacinal com a segunda dose. As iniciativas seguirão ao longo desta semana.  

Campanha de Vacinação contra a Covid-19 em Santa Maria
Comorbidades – Fase 1

Pessoas com doenças renais que fazem tratamento por diálise
18 anos ou mais
– Dispensação para a Clínica Renal a partir desta terça-feira (4), às 13h30min, com vacinação conforme organização do local e contato com os pacientes
– Comprovações junto à clínica

Pessoas com comorbidades
Quando:
– Quinta-feira (6), das 8h ao meio-dia
Locais:
– Clube Dores (para pedestres) – 1.000 doses
– Shopping Praça Nova (para pessoas em veículos) – 1.000 doses

Para quem:
– Pessoas de 50 a 59 anos
– Obesidade mórbida (IMC maior que 40), diabetes, cirrose hepática, anemia falciforme e imunossupressão (transplantados de órgão sólido ou de medula óssea, pessoas vivendo com HIV/Aids, doenças reumáticas, demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias, pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses, neoplasias hematológicas)
Comprovação: 
– Declaração de morbidade (1 cópia preenchida e assinada) e documento comprobatório (de até 3 anos) conforme a doença (original e 1 cópia xerox)

Pessoas com comorbidades
Quando:
– Sábado (8), das 8h ao meio-dia
Locais:
– Clube Dores (para pedestres) – 1.000 doses
– Shopping Praça Nova (para pessoas em veículos) – 1.000 doses

Para quem:
– Pessoas de 50 a 59 anos
– Pneumopatias crônicas graves (doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave), hipertensão arterial resistente, doenças cardiovasculares e doença cerebrovascular
Comprovação: 
– Declaração de morbidade (1 cópia preenchida e assinada) e documento comprobatório (de até 3 anos) conforme a doença (original e 1 cópia xerox)

Pessoas com deficiência permanente cadastradas no programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC)
De 54 a 59 anos
Após levantamento das regiões de moradia, conforme cadastro junto à Secretaria de Desenvolvimento Social, será agendada data para a vacinação
Todos devem apresentar documento com foto e CPF.

PARA LER A ÍNTEGRA, O ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Há quem torça o nariz para o critério. Mas utilizando o velho Pareto, se 80% das pessoas vacinadas tiverem comorbidade mesmo (só 20% de picaretas furando fila) ainda assim a mortalidade deve cair de forma considerável. Não se prejudica os 80 por conta dos 20.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo