DestaqueSanta Maria

OLHA A ALEMOA. A colunista delira, volta aos anos 80 e relaciona tudo com queda do Caboclo. Que tal?

E então a Frida relembra o hino francês, para falar de liberdade econômica

Abilolou. Sim, é uma expressão dos anos 80. Só assim para tentar entender a mixórdia enviada por áudio do Whats (“só porque o fofucho detesta”), sem direito a réplica, para antecipar alguma coisa do Barraco da Alemoa desta semana. Sim, é da Frida ZenKalo que se está a escrever.

A colunista delira, só pode. Veio com uma história de pets, tosa e sei lá o que, para lembrar d’A Revolução dos Bichos”. Como assim??? Silêncio da moça. E o que tem o hino francês com essa história toda de Liberdade econômica? Ah, ela ainda acrescentou alguma coisa sobre “Herva Doce”. Que diabo será isso? E o que tem a ver com a CBF e o Rogério Caboclo?

De novo, mudez absoluta. Sim, não tem jeito. Para decifra isso tudo, só lendo a coluna. Que ela promete enviar em tempo de publicar bem no início da madrugada. Até lá, como sempre, oremos. Amém!

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo