DestaqueEstado

PANDEMIA. Aúdio com advogado e conselheiro da OAB relata “estagnação da Justiça Estadual do RS”

Entrevista que detalha situação de profissionais gaúchos nos últimos meses

Reproduzido do portal especializado Espaço Vital / Por Maria Valentina Tralha (arte do chargista Cazo)

Um áudio que diz tudo – Circula nas redes sociais da advocacia gaúcha, desde a quarta-feira (20), o áudio de uma entrevista concedida à Rádio Pampa pelo advogado e comunicador Gustavo Adolfo Victorino Grehs (nº 74.427), também conselheiro seccional da OAB/RS.

Ao longo de pouco mais de três minutos ele resume momentos tristemente marcantes destes 16 meses (março/2020 a julho de 2021) de estagnação da Justiça Estadual do RS.

Algumas passagens:

a) “Há advogados que não recebem alvarás há dois anos”;

b) “Eu fechei o meu escritório porque não tinha como manter a minha equipe porque, durante um ano e meio, entrou nenhum alvará”;

c) “São centenas de pilhas de processos que estão, há tempos,  aguardando uma simples manifestação de magistrados”;

d) “A Justiça Estadual Gaúcha hoje nos causa constrangimentos”;

e) “Estados menores da Federação já estão completamente digitalizados, com os processos sendo despachados de forma rápida. No Rio Grande do Sul, a simples liberação leva dois, três, quatro meses”.

f) “A advocacia já criou uma brincadeira: não é mais home office, mas sim, beach office. Isso porque você encontra mais magistrados nas padarias e supermercados do litoral, do que trabalhando na capital gaúcha, cumprindo seus horários”.

PARA ESCUTAR A ÍNTEGRA DO ÁUDIO, CLIQUE NA IMAGEM

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Alvará de levantamento de quantia depositada em juízo. Problema todo são processos que duram para sempre e excesso de advogados(as).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo