DestaqueSanta Maria

BASTIDORES. Nova denúncia envolvendo Guarda Municipal, política ‘pra macho’ e máscaras dos edis

Subcomissão de Políticas Públicas vai analisar a denúncia no Legislativo

Comissão de Políticas Públicas da Câmara de Vereadores esteve reunida na quinta-feira (5) (Foto Camila Porto Nascimento)

Por Maiquel Rosauro

A Comissão de Políticas Públicas, Assuntos Regionais e Distritais, da Câmara de Vereadores de Santa Maria, criou uma subcomissão para analisar uma denúncia contra o Poder Executivo. O denunciante é o servidor aposentado Luiz Carlos Gonçalves Brum, o qual alega que a Guarda Municipal não teria sido regulamentada pela Prefeitura.

A subcomissão será formada por Lorena Santos (PSDB), presidente; Anita Costa Beber (PP), vice-presidente; e Getulio de Vargas (Republicanos), relator.

Ano passado, Brum apresentou uma denúncia contra Pozzobom. Ele argumentava que a superintendência da Guarda Municipal não estava sendo ocupada por um cargo de carreira. À época, uma comissão processante e, em seguida, o plenário da Câmara decidiram pelo arquivamento (AQUI).

“Oposição tem que ser macho”, disse Tony Oliveira ao criticar os petistas que votam com o governo (Foto Karohelen Dias/Câmara)

Política “pra macho”

O vereador Tony Oliveira (PSL) voltou com tudo do recesso. Como de costume, fez discursos explosivos nas duas sessões desta semana. Na terça (3), ele causou polêmica ao direcionar críticas a colegas petistas.

“Política é feita pra macho, macho, quem não aguenta a pressão que não se candidate” e “oposição tem que ser macho”, foram algumas frases de Tony. O parlamentar estava indignado porque vereadores do PT têm votado junto com o governo em algumas pautas. Tony, mesmo sendo filiado ao partido do vice-prefeito Rodrigo Decimo (PSL), atua na oposição.

Na quinta (5), Marina Callegaro (PT) chamou atenção de Tony quanto a um possível tom machista de suas falas na sessão anterior. A petista pediu para que o vereador se retratasse. Tony, por sua vez, disse que estava se referindo ao sentido de coragem quando disse “política feita pra macho”.

Máscaras

Quem acompanha as sessões plenárias pela TV Câmara percebeu que os vereadores relaxaram no uso da máscara em plenário. São comuns ‘flagras’ de parlamentares sem o acessório, embora na maioria das vezes seja para tomar uma água, café ou chimarrão. Na tribuna, local constantemente higienizado e afastado dos demais colegas, alguns parlamentares costumam discursar sem a proteção contra o covid-19.

Na quinta, após Tubias Calil (MDB) discursar sem máscara, Valdir Oliveira (PT) perguntou ao presidente da Casa, João Ricardo Vargas (PP), qual era a orientação para o uso na tribuna. O progressista disse que a máscara deve ser usada em toda a Casa e, que se o plenário achar por bem, pode ser revisto o uso na tribuna na próxima Resolução Legislativa. Porém, Werner Rempel (PCdoB) disse que tal decisão não cabe aos vereadores, mas aos órgãos sanitários.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo