DestaqueEducação

UFSM. Conselho Universitário bate martelo sobre a cobrança nas ‘especializações’. Entidades protestam

Se aprovada, seria a “porteira aberta para a privatização” da Universidade

Decisão será tomada em reunião virtual do Conselho Universitário da UFSM, na manhã desta sexta-feira (foto Reprodução)

Por Bruna Homrich / Da Assessoria de Imprensa da Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm)

A sessão do Conselho Universitário (Consu) desta sexta-feira, 26 de novembro, discute a minuta de resolução que possibilita à universidade cobrar pela oferta de cursos de pós-graduação lato sensu. Aprovada na reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa  e Extensão (CEPE) da última sexta, 19, a proposta vem sendo duramente denunciada e combatida pelas entidades representativas dos segmentos – estudantes, docentes e técnico-administrativos em educação, além de por diversos coletivos e movimentos sociais. Agora, o objetivo é sensibilizar e pressionar conselheiros e conselheiras do Consu para se posicionarem contrários à proposta, considerada uma porteira aberta para a privatização e elitização da universidade.

Nas últimas semanas, a Sedufsm, em parceria com DCE, APG, Assufsm, Atens e Sinasefe, tem realizado uma série de ações de mobilização, como abaixo-assinado, ato político em frente à reitoria no último dia 19 e entrega de uma carta aos e às integrantes do CEPE – onde a minuta foi aprovada por 25 votos a 24. Na ocasião, tanto o reitor Paulo Burmann quanto seu vice (e reitor eleito) Luciano Schuch votaram favoráveis à cobrança de taxas e mensalidades.

“O Estado tira recursos da educação, mas tem recursos para aprovar a PEC dos Precatórios, por exemplo. Qual a prioridade? Não faz sentido irmos na mesma lógica do governo neoliberal. Possibilitar pagamento na pós-graduação pública é, sim, possibilitar a privatização do ensino. O debate de hoje é: que universidade nós queremos? Quero uma universidade pública, gratuita, de qualidade e laica, e isso não se alinha ao pagamento de mensalidades na pós”, ARGUMENTOU, durante a reunião do CEPE, a conselheira Neila Baldi, também diretora da Sedufsm. 

O sindicato convoca, então, toda a categoria docente a acompanhar, ao vivo, a sessão do Consu desta sexta, que será transmitida, a partir das 8h30, via site do Farol UFSM. A ideia é que…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. Detalhe importante é que só por ser da UFSM não garante a ‘qualidade’ do curso. Especialização tem muito a ver com atividade pratica profissional e não ‘academia’. Muitos professores em muitos cursos são academicos desde sempre e muito do que ensinam são o que aprenderam nos livros. Recursos que existem na instituição muitas vezes não existem nas empresas da iniciativa privada (e vice versa). Ou seja, só porque tem a grife (e possivelmente mais barato) não significa vantagem no mercado de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo