DestaqueEleições 2022

ELEIÇÕES 2022. Partidos focam em alianças no RS. Quatro siglas já lançaram pré-candidato ao Piratini

PP, PT, PSB e Psol anunciaram nomes ao Governo. Os outros ainda articulam

Quatro partidos já lançaram o nome do seu pré-candidato ao Governo: PP, PT, PSB e PSol (Foto Felipe Dalla Valle/ Palácio Piratini)

Reproduzido do Site do Correio do Povo / Texto da colunista Taline Oppitz

Com o fim das prévias do PSDB, nas quais o governador de São Paulo, João Doria, foi o escolhido para representar o partido na sucessão presidencial, as articulações visando as peças nos tabuleiros eleitorais nacional e no Rio Grande do Sul começam a ser intensificadas. Nacionalmente, logo após o desfecho das prévias, Doria já iniciou sinalizações para o Podemos, do ex-juiz Sergio Moro

…No Rio Grande do Sul, os movimentos mais imediatos devem ocorrer no MDB. Após uma série de encontros regionais, o partido realiza no próximo sábado, das 8h30min às 13h30min, no Teatro Dante Barone da Assembleia, seu Congresso Estadual. No evento, será lançada a plataforma para o plano de governo que será defendido na corrida pelo Piratini. Originalmente, a intenção era a de lançar o nome do pré-candidato nesta data, mas a tese sobre as prévias saíram vencedoras. No dia 2, uma reunião do diretório estadual tratará do tema.

No PSDB, ainda há incógnita sobre quem será o sucessor de Leite e defensor de seu legado. O tucano reconheceu que já há grupo no partido que defende sua ida à reeleição. Leite, no entanto, descarta a possibilidade. “Não ir à reeleição é um compromisso meu com os partidos aliados, que ajudaram a viabilizar a série de mudanças, a virada que estamos colocando em prática no Estado. Não vou abandonar este acordo”, disse, em entrevista exclusiva ao programa “Esfera Pública”, da Rádio Guaíba. Leite destacou ainda que apesar de o PSDB contar com outros nomes, o nome de seu vice e secretário de Segurança, Ranolfo Vieira Júnior, seria um caminho natural a ser adotado.

Em solo gaúcho, diversos partidos já lançaram pré-candidatos, como o PP, com Luis Carlos Heinze, o PSB, com Beto Albuquerque, o PT, com Edegar Pretto, o PSol, com Pedro Ruas, entre outros. A viabilidade das alianças nas majoritárias, para reforçar o desempenho eleitoral e garantir tempo de rádio e TV e recursos, no entanto, serão decisivas para avanços e recuos nos planos de protagonismo dos partidos. 

O dilema trabalhista

O PDT de Leonel Brizola é um dos partidos com maior dilema nesta eleição. As intenções de 10 entre 10 trabalhistas de verem Romildo Bolzan Júnior como candidato ao Piratini foram por água abaixo, junto com o Grêmio. Nomes como o do presidente estadual, Ciro Simoni, e do ex-deputado Vieira da Cunha, são lembrados, mas representam um plano B ao sonho trabalhista. 

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo