DestaqueSanta Maria

CIDADE. Na segunda-feira, Câmara sediará um debate sobre a Soberania e Segurança Alimentar

Evento é preparatório à fase municipal da Conferência Estadual sobre o tema

Da Assessoria de Imprensa do Deputado Valdeci Oliveira

Valdeci Oliveira: discussão sobre estratégia coletiva de enfrentamento à fome e à pobreza extrema no Rio Grande e no Brasil (foto Divulgação)

Na próxima segunda-feira (16), com início previsto para às 10h, a Câmara de Vereadores de Santa Maria irá sediar a realização do seminário preparatório à etapa municipal – prevista para a segunda quinzena de julho – da 8ª Conferência Estadual de Soberania e Segurança Alimentar (CESSANS-RS), cujo tema em 2022 é ‘A fome voltou! Medidas já!’.

Para a atividade, que conta com o apoio da Assembleia Legislativa, por meio do Fórum Democrático, são esperados representantes do poder público local, da Universidade Federal de Santa Maria, das cozinhas comunitárias que atuam em diferentes regiões da cidade, de grupos de apoio à população em situação de rua e do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Rio Grande do Sul (CONSEA-RS), entre outros.

Segundo o presidente do Parlamento gaúcho, o deputado estadual Valdeci Oliveira (PT), que participará da abertura dos trabalhos, o Legislativo estadual se somou ao chamamento e está trabalhando conjuntamente com o Conselho na articulação e realização de diversos encontros Rio Grande afora. “E o fazemos por entender que o comprometimento com o tema é fundamental para difundir e ampliar as discussões, inclusive em realizar ações que colaborem numa estratégia coletiva de enfrentamento à fome e à pobreza extrema no Rio Grande do Sul e no Brasil. Participar da comissão organizadora da 8ª CESSANS-RS, além de ser algo que nos orgulha enquanto ente político, também tem nos possibilitado diminuir a distância entre o Parlamento e a sociedade civil”, avalia Valdeci.

A exemplo de Santa Maria, esses encontros, que serão realizados em todas as regiões do estado, se configuram em espaços para aprofundar a participação social. E, segundo os organizadores, como atualmente há uma grande deficiência no campo do monitoramento do aumento da população mais vulnerável e em situação de fome, “os participantes, a partir de um debate que acreditamos será produtivo, realizarão levantamentos para orientar e sugerir a formulação de políticas que atendam essa parcela significativa de pessoas que sofrem com a insegurança alimentar”, acredita Juliano Ferreira de Sá, presidente do Consea-RS.

Dados oficiais do próprio governo gaúcho apontam que no início do ano passado mais de 947 mil pessoas viviam no RS com até R$ 89 por mês, de acordo com as informações que constam no Cadastro Único (CadÚnico), o que equivaleria a 8% da população sobrevivendo em condições de extrema pobreza. E se for levado em conta aqueles que têm acesso a até R$ 178, essa quantidade supera a casa do 1,3 milhão de gaúchos e gaúchas, ou 11% da população do estado. “Isso não pode ser ignorado e tem de causar vergonha e revolta em qualquer pessoa minimamente consciente sobre os direitos da pessoa humana. A sociedade precisa, diante da inação dos governos, se levantar, se organizar e dar um basta a esse tipo de situação”, acredita Valdeci, destacando que a CESSANS-RS será um espaço “para o diálogo e a construção de ações”.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo