Artigos

O apoio primordial às famílias que vivem em situação de rua – por Roberto Fantinel

O articulista e as políticas públicas necessárias para vencer a pobreza

Habitualmente destaco nesta coluna semanal ações do nosso mandato parlamentar, opiniões fundamentadas de diversos temas que estão iminentes em nossa Região Central. Meu olhar não é apenas através da visão política como deputado estadual, é também um olhar cidadão, preocupado e atento com tudo aquilo que está inserido em nosso dia-a-dia.

Não é novidade para ninguém o cenário triste que se repete em centenas de cidades brasileiras. Em tendas ou barracas de lona, plástico ou tecido; entre praças e viadutos crescem crianças sem o mínimo de seus direitos garantidos. São famílias inteiras em constante vulnerabilidade.

A população em situação de rua no Brasil não apenas cresceu em ritmo avassalador com a crise econômica e social do país em meio à pandemia, nos últimos dois anos, mas também mudou drasticamente de perfil. De acordo com pesquisas acadêmicas recentes e informações do Movimento Nacional da População de Rua (MNPR), as mulheres, e consequentemente crianças, passaram a ser um contingente bastante expressivo dessa população.

O único dado oficial mais recente, mas que ainda se trata de uma projeção, foi divulgado em março de 2020 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea): 221.869 brasileiros viviam nas ruas naquele ano, o equivalente a cerca de 0,1% da população total do país. Para o MNPR, cerca de meio milhão de brasileiros podem estar morando nas ruas hoje, especialmente por falta de condições financeiras para pagar moradia.

Em Santa Maria, segundo o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), ao menos 170 pessoas fazem das ruas sua moradia e forma de sustento. Dados antigos e que agora serão atualizados através de um projeto desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) com o levantamento censitário que deve apontar quem são essas pessoas, como elas foram parar nas ruas e calçadas da cidade.

Em tempo, a igreja católica também está atenta à situação dos moradores de rua. A fraternidade O Caminho é uma nova congregação católica que realizará um trabalho social voltado para pessoas que estão em situação de rua e que fazem uso de drogas. Na cidade, a congregação atuará em um espaço denominado Casa Papa Francisco. A congregação buscará o convívio e o apoio junto às pessoas em situação de rua e drogadição, oferecendo oportunidade para que elas mudem de realidade.

No futuro, o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) já é aguardado por muitos. Neles, os usuários poderão acessar serviços básicos como alimentação, lavagem de roupas, higiene pessoal. Um progresso necessário para aqueles que mais precisam. É construindo políticas públicas cidadãs fomentando a melhoria na qualidade das pessoas em situação de rua que conseguiremos vencer a pobreza.

(*) Roberto Fantinel é deputado estadual pelo MDB. Oriundo de Dona Francisca, onde foi vereador, é ex-presidente da Juventude do MDB/RS, integrante do Diretório Municipal do MDB/SM e ex-assessor do governo gaúcho, na gestão de José Ivo Sartori. Ele escreve no site, semanalmente, aos sábados.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo