DestaqueEducação

UFSM. ‘A Educação Inspirando Vidas’, projeto que fortalece relação entre mães detentas e seus filhos

Ação de Extensão da Universidade tem a parceria da Polícia Federal e Susepe

“A Educação Inspirando Vidas” existe desde 2019, sendo coordenado por duas professoras do Centro de Educação (Foto UFSM)

Por Bruna Homrich / Da Assessoria de Imprensa da Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm)

O site da Sedufsm irá publicar semanalmente site, até a primeira quinzena de junho, uma série de reportagens destacando projetos realizados pela UFSM e seu corpo de docentes, técnico-administrativos em educação e estudantes.

Se o projeto que estreou esta série de matérias em alusão ao aniversário de Santa Maria (17 de maio) e à contribuição que a universidade dá à cidade foi o “Pró-Saúde”, liderado pela professora Luciane Sanchotene Daronco, o que se apresenta agora é o “A Educação Inspirando Vidas”, coordenado pelas professoras Márcia Paixão, do departamento de Fundamentos da Educação, e Graziela Escandiel de Lima, do departamento de Metodologia do Ensino da UFSM.

Tendo como público-alvo as mães que estão em privação de liberdade e suas filhas e filhos entre 2 e 14 anos, a iniciativa coordenada pelas docentes dá continuidade e amplia o Projeto Inspira, da UFSM em parceria com a Polícia Federal e a SUSEPE.

O objetivo principal é construir vínculos e relações dignas, emancipatórias e fortalecidas entre as mães e suas crianças, promovendo a elaboração de cartas e outras formas criativas de comunicação e afeto entre elas, bem como registrando e documentando os encontros. Mapear a situação familiar das crianças cujas mães estão presas, acompanhar seus desempenhos escolares e sensibilizar instituições e profissionais para as consequências que o sistema prisional pode acarretar na relação entre mães e filhos/as também estão dentre as ações promovidas pela equipe do Programa.

Em entrevista à Assessoria de Imprensa da Sedufsm, a professora Graziela de Lima conta que o Programa existe desde 2019, aprofundando ações já existentes desde 2016.

“Buscamos com este trabalho dar suporte às ações extensionistas ligadas ao Projeto INSPIRA, uma parceria entre a UFSM, a SUSEPE e a Polícia Federal. Este projeto promove, desde 2016, eventos em que mães detentas do presídio regional passam um período com seus filhos fora do ambiente prisional. Prevemos ações de acompanhamento das experiências familiares e de escola das crianças enquanto suas mães estão privadas de liberdade”, explica.

Vencendo o preconceito

Quando se fala de sistema prisional e de pessoas em privação de liberdade, diversos preconceitos ainda circulam pela sociedade e levam a que alguns setores não julguem como necessária a formulação de políticas públicas e de programas destinados a promoverem dignidade e oportunidades a tais pessoas.

Graziela comenta que, no dia dos eventos promovidos pelo “A Educação Inspirando Vidas”, é possível perceber certa empatia com relação à situação daquelas mulheres. Contudo, no cotidiano batalha é grande.

“[…] sabemos que a sociedade ainda carrega consigo muitos preconceitos e uma cultura do julgamento às mulheres que se encontram privadas de liberdade. Ouvimos e lemos nos comentários às notícias do Projeto, muitas demonstrações de inconformidade com a ideia de um Projeto em que se possa buscar o resgate da dignidade dessas pessoas. Principalmente por serem mulheres. Também percebemos que o fato de serem crianças filhas de pessoas que, por algum motivo, estão privadas de liberdade, as coloca como fortes candidatas ao caminho da criminalidade”, comenta a docente…”

PARA LER A ÍNTEGRA, E TAMBÉM VER OUTRAS FOTOS, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo