DestaqueEducação

EDUCAÇÃO. 1,5 mil “chromebooks” entregues pela Prefeitura a professores regentes da Rede Municipal

Escolas também recebem absorventes para alunas em vulnerabilidade social

Entrega de mais de 1,5 mil equipamentos aos professores regentes da rede municipal iniciou quarta-feira (Foto João Alves/Prefeitura)

Por Joyce Noronha / Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação (Smed), segue com o foco de otimizar o trabalho das escolas da Rede Municipal de Ensino (RME) a partir do investimento em tecnologias. Na quarta-feira (15), o Executivo Municipal retomou a ação de repasse de chromebooks às instituições de ensino, que foi iniciada em 2021, com cronograma que segue pela próxima semana. Nesta etapa, o investimento na aquisição dos eletrônicos é de R$ 2.785.403,25, com recurso próprio, a partir de repasse contínuo do Governo Federal via Salário-Educação.

Conforme a equipe da Smed, este é o maior repasse de equipamentos deste tipo para as escolas municipais. Ao todo, nesta etapa, serão entregues 1.515 chromebooks, para serem utilizados pelos professores regentes da RME em atividades pedagógicas. Além disso, a entrega também inclui routerboards e access points, que são eletrônicos para qualificar a conexão wifi das escolas.

“Este é um trabalho que a Prefeitura faz desde o começo do primeiro mandato, em 2017. No meio do caminho nos vimos em meio à pandemia de coronavírus, com isolamento social e aulas virtuais… Tivemos que dar mais celeridade a este processo de informatização do ensino escola da Rede Municipal. E agora, seguimos com estes investimentos a fim de levar sempre mais oportunidades aos nossos alunos”, salienta o prefeito Jorge Pozzobom, que participou da entrega no Almoxarifado Central da Prefeitura.

Para a secretária de Educação, Lúcia Madruga, cada professor regente das escolas municipais vai receber um chromebook para trabalhar nas atividades pedagógicas.

“Cada professor regente que receber um equipamento terá condições de fazer com que a sua metodologia, com que o seu trabalho seja mais facilitado pelas tecnologias. E que ele possa fazer melhor uso de todas as plataformas que estamos já utilizando e desenvolvendo, como para ensino de matemática, português, o próprio Google Class Room, que é uma ferramenta de apoio para registro de todas as atividades. Então a tecnologia vem a somar mais para que possamos ter nossas escolas no nível de qualidade e excelência que buscamos”, destaca Lúcia.

Pelo cronograma da quarta-feira, entre manhã e tarde, 37 escolas da RME estavam aptas a buscarem os equipamentos no Almoxarifado Central da Prefeitura. Já na segunda-feira (20), são 19 instituições de ensino da Rede Municipal que poderão buscar os chromebooks, routerboards e access points, no mesmo local. E na terça-feira (21), a planilha prevê que mais 22 escolas recebam os materiais eletrônicos.

ABSORVENTES
Além de receber 15 chromebooks, routerboards e access points na manhã desta quarta-feira, os representantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Chácara das Flores também recolheu 208 pacotes de absorventes higiênicos. Os itens serão repassados para alunas em ação de combate à pobreza menstrual. 

“Nós temos cerca de 50 alunas que vão receber este apoio, para que consigam manter a higiene íntima durante o período menstrual e para que possam seguir frequentando as aulas. Pode parecer pouco para algumas pessoas, mas significa muito para as alunas”, diz a diretora da escola, Juliana Cezimbra.

A Prefeitura de Santa Maria fez a aquisição de 15 mil pacotes, com 16 unidades de absorvente cada, tendo investimento de R$ 56.560, que beneficiará 3.788 alunas de 52 escolas de Ensino Fundamental da RME. Produtos de higiene íntima também são doados ao Executivo Municipal por empresas e vereadores e os itens de higiene, comprados ou doados, ficam armazenados no Almoxarifado Central da Prefeitura. As instituições de ensino podem fazer a retirada junto com materiais de limpeza e de escritório. 

A distribuição deste material para meninas da Rede Municipal de Ensino está prevista na Lei Municipal 8943/2019, que busca combater a pobreza menstrual, que consiste na falta de recursos básicos às mulheres como absorventes, sabonetes, água e papel higiênico, entre outros. O objetivo do programa é proporcionar às estudantes o acesso a produtos de higiene e combater a evasão escolar, além de prevenir doenças pelo uso prolongado do absorvente higiênico.

PARA LER NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo