DestaqueEleições 2022

ELEIÇÕES 2022. Assembleia Legislativa recebe a proposta do TRE para combate às desinformações

“Acordo de Cooperação” será avaliado pelos partidos com vaga no parlamento

Além do presidente Valdeci Oliveira e dos desembargadores, representantes dos partidos participaram da reunião (Foto Divulgação)

Distribuído pela Assessoria de Imprensa do Deputado Valdeci Oliveira

Uma proposta de parceria entre Parlamento gaúcho e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio Grande do Sul para o combate à desinformação acerca das eleições e, mais particularmente, do processo eleitoral e seus respectivos procedimentos e protocolos como um todo, foi a tônica do encontro realizado nesta terça-feira (31) na presidência da Assembleia Legislativa.

Na reunião, que contou com a participação de dirigentes do TRE e líderes de partidos com assento no Legislativo, foram entregues cópias da minuta do Acordo de Cooperação elaborada pelo tribunal para análise e consideração das legendas. “A ideia é conversarmos de forma mais tranquila possível, democrática e transparente. Estamos abertos ao diálogo”, afirmou a vice-presidente do TRE e corregedora da instituição, desembargadora Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak.

“Ninguém melhor para nos aproximar da população do que vocês”, completou o desembargador Jorge Dall’Agnol, destacando a capilaridade alcançada pelo trabalho parlamentar junto da sociedade. “Não se trata, de forma alguma, de censura, mas de atuarmos contra o que não é verdadeiro”, completou Dall’Agnol, lembrando que o tema das informações falsas que levam ao descrédito da população em relação às eleições foi uma das preocupações levadas pelo chefe do Parlamento, deputado Valdeci Oliveira (PT), à posse da nova gestão do Tribunal duas semanas atrás.

De fato, o combate às fake news, aos discursos de ódio e as reiteradas dúvidas lançadas inclusive por governantes quanto a legitimidade e integridade das urnas eletrônicas, entre outros aspectos, foram externadas por Valdeci desde a sua posse como chefe da ALRS, no final de janeiro. “Uma das primeiras medidas como presidente da Casa legislativa foi justamente nos colocarmos à disposição do TRE no que diz respeito à defesa do processo eleitoral e da democracia. E desse horizonte não há chance de recuarmos. Precisamos, enquanto sociedade, permanecermos em constante vigilância”, afirmou Valdeci na saída do encontro.

De acordo com o documento entregue aos parlamentares, os partidos políticos se comprometem a atuar como agentes colaboradores da Justiça Eleitoral (JE), esclarecendo, com informação confiável e de qualidade, seus quadros e cidadãos em geral sobre os procedimentos e funcionamento do processo de votação; a participar ativamente da fiscalização de todas as fases do processo de preparação e execução do pleito e do processamento eletrônico da totalização dos resultados (inclusive verificando a integridade e segurança de ambos), colaborar com a construção de um ambiente de transparência informacional e desestimulando os casos de informações falsas com a adoção de estratégias preventivas e de contenção de seus efeitos negativos.

A minuta, elaborada pelo Comitê de Enfrentamento à Desinformação do tribunal, criado a partir de um Grupo de Trabalho montado em 2018, destaca ainda que os partidos políticos deverão se opor a práticas ou expedientes de utilização, divulgação ou compartilhamento de fatos sabidamente falsos, inverídicos ou gravemente descontextualizados que atinjam a integridades do processo eleitoral e, em especial, da votação, apuração e totalização dos votos.

“Se tratam de termos claros, situações concretas e possíveis de serem cumpridas, buscadas. Os tempos atuais têm nos mostrado que a nossa democracia é, como em qualquer lugar, muito frágil e que precisa de constante proteção. E esse é um compromisso que assumo como democrata que sou, que já viveu sem democracia e sabe o quanto isso é maléfico e danoso para o país”, avaliou Valdeci, acrescentando que um retorno ao tribunal será dado o mais breve possível. “Em 2022, provavelmente será mais forte do que nunca (as campanhas de informações falsas). E mais forte que nunca deve ser a nossa preocupação, uma preocupação que deve partir dos entes públicos”, ponderou Jorge Dall’Agnol.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo