DestaqueEstado

ESTADO. Giuseppe Riesgo quer que ex-governador Eduardo Leite devolva valores recebidos de pensão

Deputado estadual rebate acusações do governador sobre espalhar fake news

Eduardo Leite diz que o recebimento da pensão é legal e transparente. Giuseppe Riesgo diz que é ilegal e imoral (Foto Reprodução)

Por Maiquel Rosauro

Após o ex-governador Eduardo Leite (PSDB) anunciar que abre mão da pensão paga pelo Estado, o deputado estadual Giuseppe Riesgo (Novo) cobrou publicamente que os valores sejam devolvidos aos cofres públicos (AQUI). É reivindicado o ressarcimento de R$ 39,9 mil.

Riesgo é um dos principais críticos do pagamento da pensão e, junto com o deputado estadual Fábio Ostermann (Novo), é autor da ação que tramita na 4ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre contra o benefício concedido a Leite.

Em 13 de julho do ano passado, a Assembleia aprovou o Projeto de Lei 48/2015, do deputado Pedro Pereira (PSDB), que revoga a Lei 7.285/1979, que determinava a concessão de subsídios a ex-governadores. A proposta recebeu 49 votos favoráveis e apenas um contrário, de Patrícia Alba (MDB). Na mesma sessão foi rejeitado, com 26 votos contrários e 23 favoráveis, substitutivo de Gilberto Capoani (MDB) que previa pagamento de seis meses de pensão ao fim do mandato.

No entendimento da Procuradoria Geral do Estado (PGE), Leite teria direito a receber a pensão proporcionalmente pelo tempo que ocupou o cargo até a revogação da lei, em agosto do ano passado, pelos quatro anos subsequentes ao fim do mandato. Contudo, a ação movida por Riesgo e Ostermann fez o tucano recuar.

“Mesmo que seja legal, transparente e dentro das regras éticas e morais que sempre me conduziram na vida pública, estou abrindo mão da remuneração a que tenho direito como ex-governador. Não darei espaços para que adversários, de forma oportunista e eleitoreira, façam colar suas versões maliciosas e mentirosas sobre este assunto. Abro mão para que todo o foco do debate, do nosso lado, esteja no que já fizemos e no que queremos fazer para o Rio Grande e para os gaúchos”, publicou Leite nas redes sociais junto com um vídeo de pouco mais de seis minutos de duração.

No Twitter, Riesgo rebateu o ex-governador. O deputado disse que não espalha fake news e que o pagamento é ilegal, mesmo que proporcional ao período em que Leite atuou no cargo, já que a lei foi revogada em 2021 e o tucano não possui um direito adquirido como prevê o parecer da PGE.

“O direito só “nasceria”, só se incorporaria ao seu patrimônio jurídico, quando você viesse a se tornar ex-governador. Antes disso, não teria direito algum. E como a lei foi revogada no curso do seu mandato, então não há que se falar em qualquer pagamento! O recebimento desses valores é ilegal e imoral! Devolva aos cofres públicos e peça desculpas à população!”, postou Riesgo.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Já ouvi, não de uma ou duas pessoas, que acham errado o que aconteceu, mas irão votar em Dudu, o impostor, do mesmo jeito. Nenhum espanto, tem gente que se apoderou de dinheiro publico ilegalmente e vai receber muitos votos do mesmo jeito. Aparentemente parte da população está preocupada com outras coisas. O que seria?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo