DestaqueEstado

ESTADO. Movimento contra a fome será lançado nesta quarta, 15, pela Assembleia Legislativa do RS

“Objetivo é ‘dar visibilidade’ ao assunto do avanço da insegurança alimentar”

Valdeci Oliveira, presidente da AL: “promover esforços conjuntos” que amenizem o risco de fome no Rio Grande do Sul (foto Divulgação)

Por Marcelo Antunes / Do Gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa

Em um ato marcado para esta quarta-feira (15), às 11 horas, no Salão Júlio de Castilhos  da Assembleia Legislativa, em Porto Alegre, será lançada uma mobilização que pretende unir diversas instituições gaúchas contra o avanço da fome e da insegurança alimentar no RS.Intitulado de Movimento Rio Grande Contra a Fome, a iniciativa reúne, na sua primeira fase, a Assembleia Legislativa, o Governo do Estado, o Tribunal de Justiça, o Ministério Público, a Defensoria Pública do RS e o Tribunal de Contas do Estado.

“O objetivo é começar o Movimento com todos os poderes do Rio Grande do Sul reunidos para, nas fases seguintes, agregar todas as demais instituições e entidades que quiserem contribuir no enfrentamento daquele que é o maior problema do Brasil hoje. Nós não vamos apresentar uma receita pronta e, sim, buscar parceiros para construir alternativas conosco”, destacou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valdeci Oliveira.

Conforme Valdeci, o principal objetivo do Movimento é “dar visibilidade” ao tema do avanço da insegurança alimentar para, a partir disso, “promover esforços conjuntos” que amenizem o risco de fome no Rio Grande do Sul. Uma das ações já previstas é o fortalecimento do trabalho realizado pela Defesa Civil Estadual, que durante todo ano arrecada e destina alimentos para pessoas em situação de vulnerabilidade.  

“É uma ação que não tem o poder de resolver o problema (da fome) e nem vamos inventar a roda. O que nós queremos é fazer com que a roda da solidariedade gire mais rápida e intensamente, promovendo uma união de forças que certamente vai ajudar a colocar comida no prato de quem mais precisa de apoio. E que não seja um movimento só para este momento, mas que perdure, independentemente de quem estiver a frente da Assembleia, do governo gaúcho, na direção dos demais poderes e das diferentes organizações da sociedade civil que vierem a somar esforços”, destacou ele.

Números da Fome –  A Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN) divulgou, na semana passada, os números do 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar. Os dados indicam que, em 2022, no Brasil, a fome passou a ser uma realidade para 33,1 milhões de pessoas. Já a situação de insegurança alimentar leve, moderada ou grave atinge hoje 125,2 milhões, quase 60% da população brasileira.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Sim, a boca dos bolsos dos integrantes de um certo partido estão famintas. Infelizmente não existe plantação de dolares ou euros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo