Observatório: as notas da seção Luneta

Por enquanto, é apenas palpite, não necessariamente informação: Cláudio Rosa vai concorrer a deputado estadual. Mesmo que não seja pelo PMDB (leia texto “Avança candidatura de Tubias”).
     
      O destino do vereador, que atualmente é o presidente peemedebista, pode ser o PTB. Ou o PPS, se os trabalhistas se aliarem ao PT no Estado, o que, embora improvável, não é impossível.
     
      De qualquer forma, palpite ou não, se saberá isso ainda este ano. Afinal, quem quiser trocar de partido e virar candidato, terá que se decidir até o final de setembro.
     
      Haroldo Pouey, ainda falando de PMDB, é o nome mais cotado para assumir a presidência municipal, no lugar do vereador Cláudio Rosa.
     
      Petistas quietinhos, quietinhos. Isso facilita a vida dos que querem emplacar Vilmar Galvão na presidência da sigla governista, na convenção de setembro.
     
      Se tudo correr como imaginam os que são majoritários, talvez nem eleição ocorra. Talvez. As correntes predominantes têm 90% (ou mais) dos votos internos petistas. Se fecharem com nome único, a coruja está mais que pelada.
     
      Descontando os grandões PT, PMDB, PP e, vá lá, o PDT, as outras siglas, cada qual do seu jeito, também se preparam para a eleição do ano que vem.
     
      Isso acontece pelo menos no PSDB, que, como declarou seu presidente, Ricardo Jobim, em entrevista a este jornal, terá no mínimo um pretendente à Câmara Federal. Aliás, ele próprio. E também pensa em nomes para a Assembléia.
     
      E Paulo Brandt, hein? Pode, pelos pefelistas, ser candidato ao Palácio Farroupilha, vaga para a qual já concorreu. Ele ainda não confirma, mas se este jornalista fosse jogador (não é, nem de carteado), apostaria que sim, Brandt vai concorrer.
     
      Não deixem de acessar www.claudemirpereira.com.br. Aqui você encontra notas (e opinião) atualizadas a qualquer hora.
     
      Minha gratidão eterna a José Mauro Batista e Elisa Pereira, que responderam (e muito bem) por este espaço, nas duas semanas em que o repórter acompanhou a missão santa-mariense à Alemanha.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *