Arquivo

Episódio das compras no Paraguai acaba no Ministério Público

E deu no que deu. O episódio da visita dos vereadores Júlio Brenner e Anita Costa Beber a Punta Del Este, no Paraguai, na manhã de um dos quatro dias de presença em Foz do Iguaçu, oeste paranaense, onde aconteceu encontro parlamentar, vai acabar virando investigação do Ministério Público.

Para entender melhor, leia, a seguir, a reportagem, assinada pelo repórter e editor-chefe José Mauro Batista (com a colaboração dos repórteres Elisa Pereira e Fabrício Minussi), que o jornal A Razão publica em sua edição desta quarta-feira:

“MP investiga viagem ao Paraguai
Promotor abre inquérito para investigar uso de carro da Câmara de Vereadores para compras em país vizinho
O promotor João Marcos Adede y Castro, titular da 2ª Promotoria Especializada de Defesa Comunitária de Santa Maria, abriu inquérito civil público para investigar a conduta do presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Júlio Brenner (PSDB), e de sua vice, Anita Costa Beber (PP). Os dois usaram o carro oficial do Legislativo para fazer compras em Ciudad Del Este, no Paraguai, dia 25 de novembro. O fato foi denunciado em uma nota assinada pelo jornalista Rogério Mendelski em sua coluna da edição de segunda-feira no Jornal O Sul. Na edição de ontem, o Jornal A Razão repercutiu o caso com Brenner, que admitiu ter ido ao país vizinho na Blazer IKK 2500.
“A partir do momento em que atravessaram a fronteira para fazer compras no Paraguai com o carro da Câmara não tem como deixar de investigar”, afirmou ontem à tarde Adede y Castro. Segundo o promotor, os vereadores podem ter ferido três princípios da lei de improbidade administrativa: o da legalidade (que veda a utilização de bens públicos em benefício pessoal), o da impessoalidade (que diz que atos administrativos devem ser realizados sempre no sentido de interesse público) e o da moralidade administrativa (que entende como imoral todo ato praticado por servidor público e que repugna a consciência social).
“Eles (o presidente da Câmara e sua vice) poderiam ter deixado o carro no hotel e ir de táxi para o Paraguai”, reforçou Adede y Castro, acrescentando que mesmo que o fato “não tenha causado prejuízo significativo, foi inadequado”. “Uma coisa é estar viajando no carro oficial e passar por um lugar, parar e fazer um lanche. Agora, sair de uma cidade para ir para outro país merece ser investigado”, reiterou.
Entre os documentos que vão instruir o inquérito civil público estão a notícia publicada pelo Jornal A Razão e a nota de Mendelski no Jornal O Sul. O promotor também vai requisitar a fita de uma entrevista dos vereadores à rádio CDN, em que eles teriam admitido o fato; bem como as fotos referidas na coluna de Mendelski.
Brenner e Anita viajaram para um encontro do Comitê Latino-americano de Parlamentos Municipais, realizado no município turístico de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, de 23 a 26 de novembro. Eles viajaram no carro oficial da Câmara via Argentina, ingressando no país vizinho pelo município gaúcho de Porto Xavier.
O que dizem os vereadores
O presidente da Câmara de Vereadores, Júlio Brenner, admitiu ao Jornal A Razão que fôra fazer compras no Paraguai. Segundo ele, o carro da Câmara foi usado porque os ônibus não são adaptados para cadeira de rodas. Ontem, ele preferiu não se manifestar sobre o inquérito, acrescentando apenas que a Câmara responderá a todos os questionamentos sobre o caso
A vereadora Anita Costa Beber também não quis dar entrevista sobre o assunto. A vice-presidente da Câmara disse, no entanto, que uma documentação acerca dos acontecimentos estaria sendo providenciada pela Presidência da Casa para esclarecer o caso. Segundo ela, o presidente deverá se manifestar em nome dos dois
”

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo