Interino. Werner faz balanço dos 110 dias como prefeito e diz que SM não parou sem Valdeci

Foi, ao que recorde, a mais longa interinidade de um prefeito de Santa Maria nos últimos 30 anos. Aliás, mandava a tradição que o titular e o segundo sempre brigavam. Ou, pelo menos, não mantinham um entendimento político mínimo. Houve caso, mesmo, em que um prefeito chegou a expulsar o vice das dependências do Centro Administrativo. Outro, inclusive, nunca tirou férias – única e exclusivamente para impedir que o vice pudesse assumir.

Valdeci Oliveira, nesse aspecto, consegue um feito. No primeiro mandato, o vice eleito, Paulo Pimenta, assumiu várias vezes, antes de renunciar, por ter sido eleito deputado federal. Nos dois anos restantes, todos os presidentes da Câmara tiveram o gosto de ser prefeito, mesmo que por alguns dias, em função de viagem do titular. E era um tempo em que o Legislativo, mal comparando, trocava de presidente tanto quanto um sujeito troca de camisa.

Agora, no segundo mandato, várias foram as ocasiões em que o segundo, Werner Rempel, ocupou o cargo. Sem sobressaltos, aparentemente. Isso é, convenhamos, uma inovação. Nunca, porém, como agora. Foram 110 dias. Quase dois meses. Tempo em que Valdeci, autorizado pelos edis, esteve ausente, coordenando, no Rio Grande do Sul, a campanha de Lula à reeleição.

E Werner? Como foi esse período? Dificuldades? Problemas? Ou o quê? E o futuro? Tudo isso é tema de perguntas feitas na entrevista por ele concedida à repórter Fabiane Machado, da Secretara de Comunicação Social da Prefeitura. O material foi distribuído aos veículos de comunicação. E é ele que reproduzo a partir de agora:

“Temos convicção de que, daqui para a frente, as nossas possibilidades, através desta nova relação que o Prefeito estabeleceu com o centro de Governo, vão dar muitos frutos.”

Por 110 dias, de julho a outubro de 2006, a cidade de Santa Maria teve como Prefeito em exercício, o atual Vice-Prefeito, Werner Rempel. Valdeci Oliveira assumiu a coordenação estadual da campanha de Lula à Presidência da República e coube a Werner estar à frente do Executivo Municipal. Experiente na Câmara de Vereadores, onde exerceu três mandatos, tendo inclusive sido presidente da Casa, Werner já havia substituído Valdeci em outros momentos na chefia do Executivo, mas nunca por tanto tempo. Os desafios desta experiência, as marcas deixadas por este trabalho e as perspectivas para o futuro da cidade são tratados por Werner Rempel em entrevista à Secretaria de Comunicação Social.

Secretaria de Comunicação Social (SeCom)- Quando foi confirmado que o Prefeito Valdeci Oliveira seria o coordenador da campanha eleitoral de Lula, como o senhor encarou a missão de assumir por 110 dias a Prefeitura de Santa Maria?
Werner Rempel (W.R)- Quando o vice-prefeito assume por 15 ou 20 dias esse é um período muito curto para tomar decisões de longo prazo. Neste sentido, sempre o prefeito pode retornar para as decisões serem tomadas. Mas em um período de 110 dias isso não pode acontecer. Neste período senti muito mais o peso da responsabilidade que tem o prefeito de ser o último na linha decisória, de caber a ele e a mais ninguém muitas decisões. Essa experiência nova e enriquecedora vai me auxiliar bastante no retorno às minhas funções, inclusive de Secretário Geral de Governo.

SeCom- Quais foram os maiores desafios neste período?
W.R- Uma das principais questões foi manter coesa a equipe do Prefeito, quando há uma eleição, na verdade, as responsabilidades todas cabem ao Chefe do Executivo e a ele também cabe, majoritariamente, constituir a sua equipe. Na medida em que isto acontece, o Vice-Prefeito, ao assumir eventualmente as funções de Chefe do Executivo, pode não ter uma equipe exatamente às suas feições e nem deveria ter, porque as equipes precisam estar adequadas ao trabalho do Prefeito. Então manter a coesão do grupo foi muito importante e mantê-lo trabalhando foi mais importante ainda.

SeCom- No período em que o senhor esteve à frente da Prefeitura várias ações foram desenvolvidas sob seu comando. Como foi conciliar as ações de Governo e as atividades de militância política quando se estava em campanha eleitoral?
W.R- O fato de estarmos inseridos no período eleitoral muda as relações que existem entre o Executivo e a sociedade, forçosamente elas se tornam diferentes. Desta forma há uma necessidade redobrada de se manter a máquina pública funcionando e bem, ao mesmo tempo, em que há um dever cidadão de todos os militantes participarem do processo eleitoral. Então nós tivemos que, neste período, balancear bem essas duas situações. Os nossos Cargos em Comissão (CC’s) e servidores públicos municipais, que estavam fazendo campanha, foram liberados após o seu período de trabalho para participarem das atividades, nós não permitimos que ninguém fizesse campanha em seu horário de serviço, para desta forma dar condições do governo de responder às expectativas que a sociedade tem dele.

SeCom- Na cerimônia de retransmissão de cargo, realizada na última terça-feira, dia 31, o Prefeito Valdeci Oliveira destacou que, no período de sua licença, a cidade não parou e muito foi feito. Quais ações deste período o senhor destaca?
W.R- Na verdade, todas as questões que vínhamos tratando antes, com o Prefeito Valdeci à frente da Prefeitura, seguimos executando. Alguns fatos que ocorreram comprovam o que estou afirmando.
Nós acabamos, no mês de setembro, a eficientização da iluminação pública, ou seja, a cidade percebeu que 8 mil lâmpadas estavam sendo trocadas por lâmpadas mais econômicas, com maior luminiscência e dando maior qualidade de vida à população. Uma ação de uma administração que não parou neste período.
Também nós assinamos com a Caixa Econômica Federal, fruto de um trabalho exaustivo de parceria da nossa Secretaria de Habitação com a Caixa e Governo Federal através do Ministério das Cidades, a ordem para construção de mais 240 apartamentos do Programa de Arrendamento Residencial. Nós temos atualmente, em Santa Maria, 720 apartamentos já entregues, 240 em construção e mais 440 que nós assinamos a ordem de serviço para início das obras agora, num total de 1400 unidades habitacionais e um investimento de R$ 30,7 milhões na cidade.
Falando em obras, a Rua do Acampamento, neste período, seguiu em reformas e deve estar pronta para a Romaria da Medianeira. Ao mesmo tempo em que isso causava transtornos na cidade, que são compreensíveis, e podem até gerar prejuízo eleitoral para aquelas pessoas que não refletem sobre as reais necessidades da cidade, consideramos fundamental seguir essa obra. Santa Maria não podia parar e nós não podíamos nos sujeitar completamente à questão eleitoral, nós temos obrigação de continuar as obras na cidade e isso foi feito.
Foi assinada, igualmente, a liberação de recursos para o asfaltamento da Rua Valentim Farias de Lima, em Camobi, que liga a faixa nova à saída para o distrito de Arroio Grande, emenda do Deputado Federal Paulo Pimenta. Além disso, a Casa de Saúde recebeu atenção de todo o governo, inclusive para uma solução definitiva. Neste período estivemos em …”


SE DESEJAR ler a íntegra da entrevista oriunda da Assessoria de Imprensa do Executivo, pode fazê-lo acessando a página da Prefeitura na internet, no endereço http://www.santamaria.rs.gov.br/.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *