Observatório. A seção “Não custa lembrar”

Quanto mais não seja, pelo menos uma coisa mudou

Em 25 de dezembro de 2004:

“* O tal projeto, com acréscimo de dois assessores aos quatro possíveis, hoje, e que A Razão denunciou com exclusividade e em primeira mão há três semanas, acabou sendo apresentado e, tem certeza o colunista, acabará aprovado.
* Na prática, isso significa um aumento de R$ 1.400 mensais para cada vereador, por mês – passando dos atuais R$ 2,6 mil para R$ 4 mil.
* O gasto adicional, não contando os encargos sociais, chega a R$ 200 mil por ano.”

Hoje:

O tal projeto, a que se referem as notas publicadas na seção Luneta há exatos dois anos, menos um mês, foi mesmo aprovado. E o gasto, pago pelo contribuinte, foi aumentado como se previa. E de lá para cá, a despesa do Legislativo foi aumentando ano a ano – embora, não é ruim relembrar, em 2004 eram 21 vereadores e hoje são 14.
Mas há uma diferença significativa, sempre é bom anotar: de lá para cá aumentou muito, também, o número de estagiários.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *