Arquivo

Eleições 2006. Por dois votos, mantido veto de Yeda aos subsídios dos defensores públicos

O governo do Estado prometeu estudar a questão dos defensores públicos, em greve desde terça-feira. Aliás, não se sabe o futuro do movimento, até o momento em que escrevo. O certo é que o veto da governadora Yeda Crusius ao projeto que fixava o subsídio da categoria a partir de 2009 foi mantido pela Assembléia Legislativa. Faltaram dois votos para os 28 que rejeitariam o veto, conforme você confere no material distribuído pela Agência de Notícias da Assembléia Legislativa:

 

“Deputados aceitam veto do Executivo o subsídio da Defensoria Pública

Na sessão plenária desta quinta-feira, a Assembléia Legislativa manteve o veto total do Poder Executivo ao projeto de lei 430/2006, que fixa o subsídio dos defensores públicos do Estado em R$ 17.904,37, a partir de 1º de março de 2009. O resultado da votação foi de 26 votos a favoráveis e 26 votos contrários ao veto total. Para que ocorresse a rejeição do veto eram necessários, no mínimo, 28 votos a favor da derrubada. Das galerias, servidores da Defensoria Pública acompanharam a votação. “

 

SUGESTÕES DE LEITURA – confira aqui a íntegra da notícia “AL mantém o veto do Executivo aos subsídios da Defensoria Pública”, de Roberta Amaral, da Agência de Notícias da Assembléia Legislativa. No mesmo endereço, você encontra outras informações do parlamento gaúcho.

Leia também a reportagem “Assembléia mantém veto aos subsídios para os defensores públicos”, de Josmar Leite, da Rádio Gaúcha, em ZeroHora.Com.

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo